BnR Alumni – Joana Quintas

Consulta todos os artigos de Joana Quintas

A Joana foi redatora e editora do FC Porto no Bola na Rede. Atualmente, é jornalista no Canal 11 da Federação Portuguesa de Futebol.

Bola na Rede: Por que é que quiseste entrar no Bola na Rede?

Joana Quintas: O projeto chegou até mim de uma forma muito casual, vi que precisavam de redatores num post que me foi sugerido no feed do Facebook e nessa altura quis logo tentar entrar. Tinha estudado jornalismo e não estava a exercer, trabalhava numa loja, e achei que era uma forma de me manter ativa, envolvida no meio e a fazer o que realmente mais gostava: jornalismo na área do desporto. A possibilidade de fazer coberturas em estádio foi outro dos fatores que me motivou ainda mais a querer entrar, porque termos a oportunidade de estar “onde tudo acontece” é uma grande mais-valia para o nosso percurso e para nos desenvolvermos.

BnR: Que competências é que ganhaste com a tua colaboração no Bola na Rede?

JQ: Destaco sobretudo a capacidade de me fazer ouvir no meio. Desde que entrei, em setembro de 2017, que comecei a fazer coberturas de jogos. Aliás, o meu primeiro artigo de sempre para o Bola na Rede foi um jogo (Moreirense – Sporting). No início confesso que me assustei com o “temos de fazer sempre questões nas conferências”, mas isso é tão importante… e facilmente o percebemos. Colocarmos questões, numa sala com jornalistas e muitas vezes com a conferência a ser transmitida na televisão, é uma montra para o nosso trabalho e o à-vontade para o fazermos ganhamos com o passar dos jogos. E claro, termos treinadores a elogiar a nossa questão e a nossa análise é uma boa forma de nos sentirmos mais motivados! Para além disso, a necessidade de pesquisarmos alguns temas a fundo para os artigos foi muito importante para me inteirar melhor da realidade do futebol e de outras modalidades.

BnR: Achas que o Bola na Rede é uma boa escola de comunicação?

JQ: Sem qualquer sombra de dúvida. E neste aspeto não podia deixar de destacar o trabalho de toda a direção, que nos acompanha sempre e tem o projeto organizado de uma forma muito dinâmica e que permite que todos os redatores se sintam sempre acompanhados.

BnR: Por que é que aconselhavas alguém a entrar no projeto?

JQ: Acredito que o Bola na Rede me abriu portas, aliás, tenho a certeza que me deu a experiência necessária para entrar, de forma profissional, no meio. E isso já seria um bom conselho a dar a alguém: o trabalhar com a certeza de que o trabalho está a ser visto e está a valorizar-nos. Depois, e repito, porque é uma ótima escola de comunicação, porque tem uma excelente equipa e porque nos permite escrever sobre o que mais gostamos, num registo de opinião.