BnR Alumni – João V. Sousa

João V. Sousa

João V. Sousa

 

Consulta todos os artigos de João V. Sousa

O João V. Sousa foi redator e editor no Bola na Rede. Já foi jornalista d’A Bola TV e atualmente está no Jornal de Notícias.

Bola na Rede: Por que é que quiseste entrar no Bola na Rede?

João V. Sousa: Devido à paixão que sempre nutri pelo jornalismo e pelo desporto. Profissionalmente, o Bola na Rede foi dos meus primeiros contactos com a área, e o primeiro mais “a doer”; em termos desportivos, foi um projecto que me permitiu acompanhar as incidências e expressar a minha opinião através da escrita.

BnR: Que competências é que ganhaste com a tua colaboração no Bola na Rede?

João V. Sousa: Várias, desde logo a nível de organização. Fora da vida estudantil, foi o primeiro contacto que tive com a necessidade de cumprir prazos. Como redactor conheci a necessidade de ter um texto pronto no dia e hora definidos e, enquanto coordenador, passei pela experiência de planificar os vários dias e de responder por uma secção inteira. A nível de escrita também passei a saber estruturar e condensar melhor as ideias sem me estender em demasia.

BnR: Achas que o Bola na Rede é uma boa escola de comunicação?

João V. Sousa: Claro. Apesar das naturais dificuldades inerentes a um projecto criado por jovens estudantes universitários, o Bola na Rede conseguiu singrar. Entre outras coisas, reúne vários jovens com qualidade de escrita e permite-lhes irem amadurecendo essas competências. Como disse, grande parte da minha experiência jornalística inicial aconteceu a escrever para este site, e foi nele que me comecei a moldar enquanto profissional. Ter feito parte da equipa desde o início da plataforma online deixa-me orgulhoso, e o facto de ter ficado tanto tempo prova que achei esse período muito útil.

BnR: Por que é que aconselhavas alguém a entrar no projeto?

João V. Sousa: Por três motivos principais: em primeiro lugar, porque a experiência de escrita dá tarimba profissional e ajuda a enriquecer o currículo, o que vai ser muito importante mais tarde. É conveniente que não nos fiquemos pelo curso na faculdade e que procuremos valorizá-lo com outras competências. No meu caso, até começar a trabalhar, o Bola na Rede foi a componente prática mais importante do meu currículo, pelo número de textos que escrevi e pelos anos em que estive no projecto.

Em segundo lugar porque, além dos artigos, os redactores adquirem experiência de reportagem. As minhas primeiras idas enquanto jornalista a jogos de futebol, competições e eventos aconteceram no Bola na Rede. A simples possibilidade de acesso à cabine e à sala de imprensa de um estádio, com oportunidade de colocar perguntas a intervenientes directos dos jogos, fornece um contacto inicial com a profissão muito enriquecedor no plano profissional e marcante no plano pessoal. É notável que um projecto universitário tenha ganho dimensão e credibilidade ao ponto de ganhar o direito a estar presente nos estádios dos maiores clubes portugueses.

Por último, porque permite que os apaixonados pelo desporto escrevam abertamente sobre o tema. Sendo um site de opinião, fatalmente nem todos os integrantes do projecto concordarão sempre com a nossa visão das coisas sobre este ou aquele assunto. Mas, em mais de três anos de colaboração, nunca fui minimamente condicionado, e sempre senti que as minhas opiniões eram respeitadas e valorizadas. Isso é importante, e não acho descabido dizer que, nesse aspecto, o Bola na Rede dá lições a vários órgãos de comunicação social profissionais, onde infelizmente nem sempre se vive esse clima de total autonomia.

João V. Sousa