Na passada quarta-feira disputaram-se grande parte dos últimos jogos de preparação para o Mundial de 2014 no Brasil. Portugal teve uma vitória convincente frente aos Camarões, e provou assim que é um candidato à final do Maracanã. Mesmo aqui ao lado, em Espanha, mais precisamente em Madrid, jogou-se uma partida entre dois dos mais fortes candidatos à tal final.

A seleção espanhola e a seleção italiana mediram forças no Vicente Calderón, num jogo que serviu para homenagear Luis Aragonés e, ainda, para oficializar Diego Costa como jogador da Espanha.

A Roja, como lhe gostam de chamar os espanhóis, fez um jogo à sua imagem: posse, controlo e circulação. Perante uma Itália “tímida”, a solidez defensiva e a mobilidade atacante da Espanha mostrou ser mais do que suficiente para ganhar o jogo, sem ser necessário “jogar a sério”. O extremo do Barcelona Pedro Rodriguez foi o autor do único golo da partida, aos 62 minutos, que ditou a justa vitória da Espanha.

A equipa comanda por Vicente del Bosque deixou boas sensações aos adeptos espanhóis, que aguardam com expetativa a conquista de mais um Mundial de Seleções. Na verdade, o otimismo dos nuestros hermanos tem muita razão de ser. Para além de evidenciar evidenciar um futebol extremamente eficaz –como prova está a conquista de dois Campeonatos da Europa e um Campeonato do Mundo, em 6 anos – e de grande personalidade, bebendo muito do perfume do futebol made in Barça, a Roja tem uma imensidão de jogadores de enorme talento. A lista é de tal forma extensa que até provoca inveja.

Qual será a lista final de Vicente del Bosque? Fonte: La Voz de Galicia
Qual será a lista final de Vicente del Bosque?
Fonte: La Voz de Galicia

Separando essa lista em dois grupos, num lado temos os convocados por Vicente del Bosque para o jogo frente à Itália, e no outro temos os jogadores que não foram convocados mas que são, claramente, opções de grande qualidade . Ora, vejamos:

Anúncio Publicitário

Titulares/convocados:

Guarda Redes: Casillas; Valdés; Reina

Defesas: Sergio Ramos; Javi Martinez; Raul Albiol; Jordi Alba; Azpilicueta; Juanfran;

Médios: Busquets; Thiago Alcântara; Iniesta; Fàbregas; Pedro Rodriguez; Xabi Alonso; Navas, David Silva; Koke; Xavi; Cazorla;

Avançados: Diego Costa; Negredo

Não convocados:

Guarda redes: Diego Lopez; De Gea

Defesas: Piqué; Arbeloa; Carvajal;

Médios: Juan Mata, Isco; Javi García; Jesé Rodriguez; Illaramendi; Gabi;

Avançados: Soldado; Fernando Torres; David Villa; Rodrigo;

A primeira lista tem um total de 22 jogadores e a segunda contém apenas 15. O que perfaz um total de 37  atletas com capacidade para representar a Espanha ao mais alto nível.

Sabendo de antemão que Vicente del Bosque está limitado à escolha de 23 jogadores para levar ao Brasil, os critérios de seleção serão muito apertados. Como é óbvio, a experiência e maturidade de um determinado núcleo de jogadores, habituado à dinâmica da Roja, irá pesar na hora do técnico decidir a lista final.

O que é certo é que, aconteça o que acontecer, uma parte destes jogadores vão ficar de fora do Mundial do Brasil. É realmente espantoso e reflete bem a qualidade da geração de ouro da seleção espanhola.

Dito isto, acredito que, apesar do Brasil jogar em casa, da Alemanha ser um enorme potência futebolística, de Portugal ter Ronaldo e da Argentina ter Messi, a Espanha continua a ser a mais forte candidata à conquista do Mundial. Até porque, haverá alguma outra seleção no mundo com tamanho poder?

Artigo anteriorUma verdadeira Taça de Portugal!
Próximo artigoQuerido mês de Março
Benfiquista até ao último osso, mudou-se do Norte para Lisboa para poder ver o seu Benfica e só depois estudar Jornalismo. O Pedro é, acima de tudo, apaixonado pelo desporto rei e não perde uma oportunidade de ver um bom jogo de futebol.                                                                                                                                                 O Pedro escreve ao abrigo do novo Acordo Ortográfico.