internacional cabeçalho

Legia Varsóvia, Widzew Lodz e Wisla Cracóvia eram nomes que punham em sentido qualquer adversário aquando dos sorteios para as diferentes competições europeias durante as décadas de 1970 e 1980. Foi precisamente durante os anos 70 que teve lugar a era dourada do futebol polaco, durante a qual, a reboque de jogadores como Kazimiers Deyna, Robert Gadocha, Grzegors Lato e Zbignew Boniek, o futebol das águias brancas do leste europeu tomou de assalto a modalidade no velho continente.

Os ventos de mudança trazidos pela Perestroika de Mikhail Gorbachev e pela luta do Solidarnosc de Lech Walesa em conjunto com a queda do governo autoritário do General Jaruzelski em 1990 marcaram também, de forma profunda, o futebol polaco, que só esporadicamente tem conseguido erguer-se novamente e, de certa forma, atrever-se a reclamar o tempo perdido no panorama da modalidade no continente europeu.

Grzegorz Krychowiak – O bravo guerreiro andaluz  Fonte: Página do Facebook do Krychowiak
Grzegorz Krychowiak – O bravo guerreiro andaluz
Fonte: Página do Facebook do Krychowiak

Todavia, o futebol polaco está novamente a atravessar um momento bastante positivo, não propriamente às expensas das equipas que compõem a sua liga nacional, mas sim graças à vasta legião de jogadores polacos que fazem parte dos plantéis de grandes equipas por essa Europa fora.

Adam Nawalka, o homem que assumiu o controlo da selecção polaca em 2013, veio pôr fim a vários anos de inconsistência e de alguns resultados que roçaram a mediocridade, conseguindo de certa forma captar aquela essência que fez a Polónia afirmar-se nas décadas de 1970 e 1980. Nawalka tem introduzido na equipa alguns jovens jogadores e outros mais experientes, que actuam na Ekstraklasa, numa clara tentativa de relançar o futebol dentro daquela imponente nação do leste europeu.

Apesar de todos os seus esforços, são ainda os jogadores que jogam fora do seu país que têm dado grandes alegrias (a Polónia ocupa o primeiro lugar no Grupo D de apuramento para o Euro 2016) aos exigentes adeptos polacos. Um desses homens é do Sevilha, dá pelo nome de Grzegorz Krychowiak e ganhou recentemente a Liga Europa ao serviço da equipa andaluza. O médio defensivo de 25 anos é definitivamente um dos melhores do mundo a jogar na sua posição e foi um elemento de vital importância na equipa de Unai Emery esta temporada. Krychowiak chegou a Sevilha no Verão passado, vindo do Stade de Reims, e passou de um mero médio defensivo, extremamente regular, ao segundo jogador mais cotado da Liga Europa, de acordo com as estatísticas do website whoscored.com. Krychowiak é o pêndulo da equipa sevilhana. Sabe sair a jogar desde trás, tem um posicionamento em campo quase perfeito, recupera bolas como ninguém e tem uma inteligência muito acima da média dentro das quatro linhas, algo que lhe permite ler o jogo de forma quase sempre certeira, antecipando com isso as jogadas dos adversários.

Krychowiak nasceu em Gryfice, uma cidade situada na belíssima região da Pomerânia, e, ao contrário daquilo que se possa pensar, embora gostasse de futebol, não fazia tenções de ser jogador profissional. Foi graças à insistência do seu irmão, que já lhe reconhecia talento por essa altura, que se inscreveu na academia do Orzeł Mrzeżyno. Alguns anos mais tarde, o então jovem Krychowiak mudou-se para o Arka Gdynia, uma equipa com pergaminhos no futebol polaco, e as suas boas exibições despertaram o interesse dos franceses Girondins de Bordeaux, clube pelo qual assinou em 2006 e do qual fez parte até 2012, ainda que na maior parte desse tempo tenha jogado por empréstimo no Stade de Reims e no Nantes.

Krychowiak, o homem a quem Unai Emery entregou os comandos do meio-campo sevilhano  Fonte: Página do Facebook do Krychowiak
Krychowiak, o homem a quem Unai Emery entregou os comandos do meio-campo sevilhano
Fonte: Página do Facebook do Krychowiak

Em dois anos apenas, tudo mudou para o poderoso médio polaco, primeiro no Stade de Reims e esta época no Sevilha. Krychowiak puxou dos galões e provou ser uma das melhores contratações da Liga Espanhola na temporada que agora chegou ao fim, e começou também a ser uma presença de peso na selecção do seu país. O médio, que marcou na final de Varsóvia na passada quarta-feira, é agora um dos alvos do Real Madrid para a próxima época, mas uma mudança para a capital espanhola não parece estar nos planos futuros do jogador polaco, que afirmou recentemente querer continuar ao serviço dos andaluzes e até dispensou algum do seu tempo para cantar um hino sevilhano e colocá-lo na sua conta pessoal no Twitter.

Krycho é o porta-estandarte de uma nova e ambiciosa geração de talentosos jogadores polacos, da qual fazem parte, entre outros, Robert Lewandowski, Arkadiusz Milik, Kamil Grosicki, Lukasz Teodorczyk e Michal Kucharczyk, e que irá seguramente tomar o futebol do velho continente de “assalto” e quem sabe devolver ao futebol do seu país aquela mística que se perdeu algures no tempo, há mais de um quarto de século.

Foto de Capa: Página do Facebook do Krychowiak

Comentários