O AC Milan é, indiscutivelmente, um dos maiores símbolos do futebol mundial, não só pela hegemonia que outrora teve a nível nacional como por toda a sua invejável história recheada dos mais importantes troféus também internacionais. Para além disso é um clube que sempre contou com o contributo de jogadores que hoje recordamos como sendo alguns dos melhores de todos os tempos. É o caso de Maldini, Rijkaard, Shevchenko, Marco van Basten, Beckham, Gullit, Kaká, Ronaldinho, entre tantos e tantos outros.

Apesar de tudo isto, os últimos anos não têm sido fáceis para os vermelhos de Milão, uma vez que não se têm conseguido afirmar a nível nacional. A sua última classificação no campeonato, digna de registo, foi na temporada de 2012/13, onde conseguiram o terceiro lugar. Para além disso, conseguiram atingir os oitavos de final da Liga dos Campeões, competição que desde a época seguinte para cá não voltaram a disputar.

Este ano a situação parece igualmente desanimadora, e em 18 partidas já realizadas para a Liga contam com apenas seis vitórias, para além dos quatro empates e oito derrotas, ocupando assim a 12ª posição da competição. A acrescentar ao cenário pouco propício para festas, foi excluído pela UEFA das competições europeias devido ao incumprimento do fair play financeiro, restringindo assim o clube às provas internas.

Ainda assim e apesar de todo o aparente caos dos últimos anos, na passada época os Rossoneri descobriram um jogador que veio fazer lembrar um pouco os velhos tempos e acabou por se destacar pela positiva, conseguindo dar muitos pontos à equipa então treinada por Gattuso. Esse jogador foi o polaco Piatek, que havia sido contratado ao Génova a meio da época. Por essa altura já o avançado tinha realizado 19 jogos e marcado 13 golos, o que suscitou rapidamente o interesse dos grandes clubes de Itália. Na restante temporada realizou mais 18 partidas e colocou o seu nome na lista dos marcadores por mais nove vezes, tornando-se assim no terceiro melhor marcador da Série A com 22 golos em 37 partidas realizadas, obtendo uma média de 1,46 golos por jogo.

Na última temporada Piatek apenas não disputou 447 dos 3420 minutos possíveis no campeonato Italiano
Fonte: AC Milan

Apesar do inegável sucesso em 2018/2019 o jogador de 24 anos passou do 80 para o 8 e este ano a situação é estranhamente desigual à do ano passado. Com a mudança de temporada veio também a mudança nas prestações do polaco e estamos assim a assistir ao apagão de um jogador que já mostrou ter competências mais do que suficientes para servir um grande clube europeu.

É verdade que toda a equipa em si não realizou uma primeira metade de época ao nível das expectativas, mas a capacidade que Piatek tinha de muitas vezes levar os colegas às costas quando as coisas não estavam a correr bem parece ter desaparecido, e talvez por isso o jogador conte com apenas quatro golos em 18 partidas disputadas e com substituições muito prematuras, algo que no passado recente seria impensável.

As coisas não estão, definitivamente, a correr bem, e é certo que o jogador também não estará feliz com o que tem produzido. Posto tudo isto, o futuro de Piatek é cada vez mais incerto e Milão poderá deixar de ser a cidade do polaco. Isto não se deve só ao facto de o jogador não estar a atravessar um bom momento no clube, mas também muito devido à mais recente contratação de Zlatan Ibrahimovic que veio para ser titular, apesar da sua avançada idade. Para o substituir está lá Rafael Leão, jogador que será certamente uma aposta do treinador e da direção, e que, por isso, não pode ser descartado. Assim, há muita competição para um lugar só e Piatek poderá estar mesmo de saída do AC Milan.

Interessados não faltam, e alguns já se manifestaram. O que merece mais destaque é José Mourinho, que terá apontado o jogador como uma prioridade depois de saber que Harry Kane vai ser operado e não voltará aos relvados antes de abril. A imprensa já o dá como garantido em Londres, num negócio que terá sido feito pelo valor de 33 milhões de euros.

Só os próximos dias nos confirmarão a veracidade da transferência, mas por enquanto ficamos com a certeza de que se trata de um jogador com mercado e que, certamente, terá ofertas de muitos clubes de vários países das principais ligas europeias.

A verdade é que por enquanto continua a ser jogador do Milan e é debaixo do manto vermelho e preto que terá de tentar reverter esta situação. É importante não esquecer que foi muitas vezes descrito como o sucessor de Lewandowski, o seu compatriota que é considerado por muitos como o melhor ponta de lança da atualidade. Qualidade não lhe falta, e isso é indiscutível por tudo aquilo que fez na passada época. Sobre a equipa onde vai jogar, talvez mudar de ares fosse mesmo o melhor para Piatek, uma vez que seria também uma “chicotada psicológica” para o jogador que num clube com mais ambição, certamente, se sentiria mais motivado e com mais condições para recuperar a sua forma e fazer aquilo que melhor sabe e tantas vezes nos habituou: marcar golos.

Foto de Capa: AC Milan

Artigo revisto por Joana Mendes

Comentários