cabeçalho mundial'2014

Clique aqui para ver os golos.
Clique aqui para ver as estatísticas.

O RESCALDO

Era dos jogos que muitos pensavam ter um vencedor já encontrado, mas acabou por ser, até ao momento, a maior surpresa deste Mundial.

O Uruguai, recheado de estrelas mas com Suarez no banco por lesão, defrontava a Costa Rica, vista como uma presa fácil naquele que é o grupo da morte para muitos. O jogo até começou bem para o Uruguai, que ia mostrando as debilidades defensivas da Costa Rica, quando, aos 23 minutos, Cavani marcou de penálti. Diga-se que, face às polémicas nos penálties já marcados, este foi bem assinalado. O Uruguai ia tendo a posse mas mostrava-se pouco eficaz. Quem tem Cavani e Forlan no ataque tem de ser muito mais perigoso. Do outro lado, a Costa Rica mostrava-se corajosa, procurava sempre o ataque, tendo como referência Joel Campbell. Ao intervalo, o resultado beneficiava um Uruguai que soube aproveitar o penálti mas de quem se esperava mais, contra a Costa Rica. Os costa-riquenhos mostravam-se uma equipa destemida, que procurava sempre o ataque.

Campbell carregou a Costa Rica nesta grande vitória Fonte: Fifa.com
Campbell carregou a Costa Rica nesta grande vitória
Fonte: Fifa.com

Seria um prenúncio para o que vinha aí na segunda parte. Sem medos, a Costa Rica deu a volta ao jogo. Primeiro aos 54, pelo inevitável Campbell, e depois aos 57 minutos, por Óscar Duarte. Uma entrada fortíssima que surpreendeu o Uruguai e todos os adeptos do futebol. Os uruguaios, em estado de choque, nunca foram capazes de mostrar argumentos para dar a volta ao resultado. Apáticos, dependentes de Cavani, nunca puseram realmente em causa a vantagem da Costa Rica, que controlava a seu bel-prazer o jogo. E, aos 84 minutos, o escândalo tomou proporções ainda maiores. Se os adeptos do Uruguai ainda estavam esperançados de que um dos seus jogadores, num lance de génio, empatasse a partida, Ureña acabou com essa esperança. O recém-entrado desmarcou-se após grande passe de Campbell e marcou o terceiro golo. Os adeptos em geral ficavam de boca aberta. A Costa Rica, a selecção que seria a presa fácil para o seu grupo, vergava o Uruguai, visto como uma das selecções que podem surpreender neste Mundial, com uma humilhante derrota por 3-1.

Cavani e Hernandez apáticos perante a vitória do Uruguai. Fonte: Fifa.com
Cavani e Hernandez apáticos perante a vitória do Uruguai.
Fonte: Fifa.com

Estava feita a primeira surpresa no Mundial. Mas só é surpresa para quem não viu o jogo. Uma lição de futebol por parte dos costas-riquenhos, a quem a vitória assenta muito bem. O Uruguai foi uma sombra daquilo que se esperava e nunca mostrou argumentos para dar a volta. Num grupo onde se esperava uma luta a três, Itália e Inglaterra já estão avisadas de que a Costa Rica não foi ao Brasil passear. Já o Uruguai pode ter perdido aqui a oportunidade de partir em vantagem face aos ingleses e italianos e de passar o grupo.

A Figura:

Joel Campbell – A jovem esperança da Costa Rica esteve em todo o lado. Marcou, rematou, assistiu. Foi uma flecha apontada à baliza de Muslera e carregou a Costa Rica nesta grande vitória. Foi uma exibição para Wenger ver.

O Fora-de-Jogo:

Uruguai – A ausência de Suarez não pode explicar a derrota. O Uruguai foi muito fraco no ataque, uma equipa sem ideias para quem tem Cavani, Abel Hernandez e Forlan no ataque. Se querem fazer um Mundial como o de 2010, vão ter de se aplicar muito mais.

Comentários