A CRÓNICA: SL BENFICA ADORMECE APÓS GRANDE PRIMEIRA PARTE

Em mais um jogo a contar para a FIBA Europe Cup – Nível Dois, o SL Benfica recebeu os alemães do medi Beyreuth à procura de vingar a derrota da primeira volta. O jogo teve um início complicado para a equipa de Carlos Lisboa, com os alemães a criarem uma vantagem de três posses de bola. No entanto, um bom final de quarto do Benfica deixou os encarnados com uma vantagem de três pontos ao fim de dez minutos. O segundo período, trouxe o melhor das águias, que dominaram o jogo tanto no ataque como na defesa, conseguiram um parcial de 27-14 e foram para o intervalo com uma vantagem de 16 pontos.

Contudo, a segunda parte mudou completamente o jogo. O intervalo favoreceu claramente os alemães, que dominaram por completo a segunda metade do jogo. Em especial, o terceiro período mostrou a superioridade dos germânicos, que alcançaram um parcial de 27-9, anulando assim a vantagem trazida da primeira parte. Perante as dificuldades do SL Benfica em contrariar o rumo do jogo, no último período, o Beyreuth solidificou a vantagem, e, por incrível que pareça, face à grande primeira parte do Benfica, levou de Lisboa uma vitória tranquila.

Com este resultado, o SL Benfica encontra-se agora em segundo lugar do grupo, em igualdade pontual com o Bakken Bears, equipa que defronta no próximo dia cinco em jogo que decidirá o futuro europeu dos encarnados.

Anúncio Publicitário

A FIGURA

Fonte: FIBA Europe Cup

Segunda parte do Medi Beyreuth – Sem que nenhum jogador se tenha distinguido individualmente na formação alemã, a figura do jogo é a grande resposta da equipa a um segundo período impressionante do Benfica. Na segunda parte, os alemães anularam a desvantagem de 16 pontos que levaram para o intervalo e conseguiram criar uma vantagem de 13 no final do jogo.

O FORA DE JOGO

Fonte: FIBA Europe Cup

Moldura humana no pavilhão – Em jogo determinante para a passagem do Benfica aos quartos de final da prova, e com a excelente época que os encarnados têm vindo a realizar, o pavilhão merece mais gente. No jogo de hoje, pareceu faltar algo ao Benfica na segunda parte e talvez uma casa perto de cheia fosse o antídoto para a clara superioridade alemã nos momentos decisivos do jogo.

ANÁLISE TÁTICA – SL BENFICA

O SL Benfica entrou no jogo com uma novidade no cinco inicial, Anthony Hilliard, adicionando assim mais uma arma ao tiro exterior, que continua a ter grande foco no ataque encarnado. Estratégia que resultou na primeira parte, mas que foi anulada na segunda.

CINCO INICIAL E PONTUAÇÕES

Anthony Ireland (7)

José Silva (6)

Anthony Hilliard (5)

Gary McGhee (5)

Arnette Hallman (6)

SUBS UTILIZADOS

Eric Coleman (5)

Fábio Lima (6)

Rafael Lisboa (6)

Damian Hollis (5)

ANÁLISE TÁTICA – MEDI BEYREUTH

A estratégia de jogo dos alemães consistiu em explorar a vantagem que possuem sobre o SL Benfica, a superioridade física. Com isto, os alemães focaram-se no jogo interior e na luta pelos ressaltos. Quando finalmente fizeram os ajustes necessários para travar o ataque mais rápido e veloz do SL Benfica, o jogo ficou controlado.

CINCO INICIAL E PONTUAÇÕES

James Alexander Woodard (7)

Bastian Doreth (7)

Andreas Seiferth (5)

Lukas Meisner (7)

Nate Linhart (5)

SUBS UTILIZADOS

James Arthur Robinson III (6)

Bryce Alford (6)

Reid Alfred Travis (6)

Evan Bruinsma (6)

Joanic Liberto Grüttner (3)

Foto de Capa: SL Benfica – Modalidades

Artigo revisto por Inês Vieira Brandão