Naquele que foi o jogo cabeça de cartaz da 2ª jornada do campeonato nacional de hóquei em patins, Juventude de Viana e Benfica proporcionaram um jogo equilibrado, disputado e equilibrado, onde as bolas paradas foram essenciais para o desfecho de 3-2 a favor das águias.

O jogo teve um inicio animado, com as duas equipas a imporem um bom ritmo e a procurarem a baliza, com o destaque a irem para dois bons lances da Juventude de Viana que aos três minutos, obrigaram Pedro Henriques a dupla intervenção. O conjunto da casa estava melhor e passados dois minutos, André Azevedo, com um lance individual, esteve perto do primeiro. O Benfica respondeu e após uma bela jogada coletiva, Diogo Rafael stickou para uma boa defesa de Jorge Correia.

Os minutos iam passado e o Viana continuava a por cima, estando sempre mais tempo em posição de ataque, embora sem o atrevimento dos minutos iniciais, e a não dar espaços na sua defesa. Por sua vez, o Benfica ia tentando aproveitar os erros que a equipa da casa ia cometendo. Exemplo disto foram dois lances aos onze minutos. Primeiro, foi a Juventude a estar perto do golo e na resposta, as águias, por intermédio de Adroher, também ficaram perto de marcar.

Sem movimentações no marcador e com alternativas nos bancos, Renato Garrido e Pedro Nunes começaram a mexer nos cincos iniciais e o jogo abriu. Porém, os golos continuavam sem aparecer. Muito devido a Jorge Correia, mas sobretudo a Pedro Henriques que repetiu a titularidade da primeira jornada.

Após um timeout pedido pelo treinador benfiquista, a cerca de oito minutos do intervalo, o conjunto encarnado melhorou e começou a dar mais trabalho ao guarda-redes da casa, com João Rodrigues e Valter Neves a estarem em evidência.

Anúncio Publicitário
O argentino voltou a ser importante ao bisar na partida Fonte: João Martins – Benfica TV
O argentino voltou a ser importante ao bisar na partida
Fonte: João Martins – Benfica TV

A cinco minutos e meio da pausa, João Rodrigues viu cartão azul por falta sobre João Ramalho, um dos reforços do Viana para esta temporada, concedendo uma enorme possibilidade aos da casa. Emanuel Garcia, outro dos reforços, foi o escolhido para a marcação do livre-direto, mas não conseguiu passar Pedro Henriques que, com a luva esquerda, evitou o golo.

Em situação de superioridade numérica, foi o Benfica estar mais tempo em posse de bola, assim como perto de marcar, devido a uma jogada de irmãos que Tiago Rafael não conseguiu concluir. Pouco depois, Nicolia conseguiu arrancar uma grande penalidade que o próprio não desperdiçou e com uma stickada rasteira fez o primeiro. De seguida, surgiu a 10ª falta encarnada. Novamente frente a frente, Emanuel Garcia e Pedro Henriques disputaram mais um duelo, mas desta feita o argentino levou a melhor e restabeleceu o empate.

Dentro do último minuto do primeiro tempo, o Benfica esteve perto de voltar para o comando, mas Jorge Correia negou o golo a Tiago Rafael. A segundos do toque da buzina, Nicolia tentou um lance de magia e por pouco não resultou no segundo tento.

Finalizada uma primeira parte muito intensa e disputada, Viana e Benfica empatavam a 1-1, resultado algo adequado ao que se viu em pista. A Juventude entrou melhor e esteve por cima, ainda que nem sempre de forma clara, durante grande parte do tempo, com as aguias a melhorarem nos últimos oito minutos.