O Moreirense FC arrancou esta época com uma herança pesada: o sexto lugar conquistado na temporada passada foi um registo impressionante, pelo que o mote para 2019/2020 só poderia ser tentar manter os bons resultados.

Contudo, viu-se órfã do treinador que foi o mentor deste sucesso, Ivo Vieira, além de ter assistido à saída das suas principais estrelas, como o defesa Ivanildo Fernandes que foi jogar para a Turquia, Rúben Lima que se recusou a renovar contrato, Chiquinho que voltou ao SL Benfica, o agora axadrezado Heriberto Tavares e Mamadou Loum que se transferiu já a meio da época passada para o FC Porto.

Esta ”devastação” do plantel terá, certamente, condicionado a preparação da temporada atual, uma vez que os responsáveis do clube se viram obrigados a alterar a fórmula que resultara anteriormente. Vítor Campelos foi o escolhido para suceder a Ivo Vieira, mas acabou por não se encaixar na equipa. Ao fim de 14 jornadas, com o Moreirense FC no 11.º lugar da classificação e com 17 pontos (menos sete pontos e quatro lugares na tabela classificativa abaixo do obtido na mesma altura, no ano passado), o treinador recebeu ordem de saída e foi substituído por Ricardo Soares. A eliminação da Taça de Portugal em casa frente ao CD Mafra, um emblema de um escalão inferior, numa partida em que os vimaranenses não conseguiram impor o seu jogo, terá também contribuído para esta decisão.

Porém, o antigo treinador do CD Aves não entrou bem na equipa, com duas derrotas seguidas frente ao FC Paços Ferreira e FC Porto. Ainda assim, o entrosamento com o plantel acabou por surgir e desde então o Moreirense apenas regista uma derrota frente ao SC Braga, tendo até arrancado um empate frente ao SL Benfica, atual campeão nacional.

Anúncio Publicitário

Na paragem do campeonato, à 24.ª jornada, o clube de Moreira de Cónegos encontrava-se na oitava posição com 30 pontos, menos sete que os seus dois antecessores na tabela classificativa, o FC Famalicão e os seus “vizinhos” Vitória SC.

Apesar da saída das principais estrelas do plantel, a equipa contou com alguns reforços importantes esta época, como o jovem médio Filipe Soares (e o seu irmão Alex Soares, mais experiente, oferecendo bastante segurança à equipa), Steven Vitória, o defesa central de 33 anos, com já muito conhecimento do futebol português, e o extremo Fábio Abreu, que conta já com 12 golos em 26 jogos. Antes da suspensão do campeonato, o angolano estava num bom momento de forma com seis golos nos últimos seis jogos.

À semelhança de outros emblemas da Primeira Liga, o Moreirense voltou esta segunda-feira ao trabalho para preparar o regresso à competição no final do mês de Maio. O clube dividiu os jogadores entre o Estádio Comendador Joaquim de Almeida Freitas, em Moreira de Cónegos e Campo das Oliveiras, em Serzedelo, numa primeira fase em treinos individuais, de forma a cumprir as medidas acordadas com a Direção-Geral de Saúde.

O regresso do Moreirense FC campeonato será contra o Boavista FC, um adversário que, com toda a certeza, irá colocar os pupilos de Ricardo Soares à prova. Resta saber se a equipa tem o “estofo” necessário para manter o bom momento e lutar por igualar ou aproximar-se do registo da época passada, com a possibilidade de dar ao concelho de Guimarães, nas próximas épocas, mais um clube candidato à sempre aguerrida batalha pelos lugares de acesso à Liga Europa.

Artigo revisto por Inês Vieira Brandão