Por vezes, a vida é ingrata e alguns tristes acontecimentos vêm interromper os nossos sonhos, a nossa caminhada, o nosso trilho. Ainda não se sabe em concreto o que aconteceu ao avião monomotor particular que devia ter levado o jogador Emiliano Sala de Nantes, em França, até Cardiff, no País de Gales, mas o mundo do Futebol prepara-se para o pior. Mensagens de preocupação, de oração e de desejo que um milagre possa acontecer multiplicam-se um pouco por todo o lado, mas as esperanças de boas notícias não são muitas, desgraçadamente.

Emiliano Sala, 28 anos, atingiu o cume da sua carreira desportiva neste início fulgurante de temporada com o FC Nantes. Os 12 golos marcados pelo avançado italo-argentino na primeira volta da Liga Francesa chamaram a atenção da Premier League. O Cardiff City FC foi o clube que se movimentou mais rapidamente para o resgatar, em troca de 17 milhões de euros, nove anos depois de chegar a França para jogar no FC Girondins de Bordeaux.

Aquilo que poucos saberão é que antes de aterrar em Bordéus, Sala teve uma passagem fugaz pelos Campeonatos Distritais da AF Portalegre! Uma história tão mirabolante, quanto surpreendente, que só o futebol nos pode oferecer. A verdade é que depois de ter integrado as camadas jovens de clubes argentinos de pouca expressão, e de posteriormente se ter mudado para residir em Ascona, no sul de Espanha, Emiliano Raúl Taffarel Sala, cai quase de pára-quedas no distrito portalegrense para jogar no modesto FC Crato, por indicação – rezam as crónicas – de um seu compatriota que jogava na equipa. Em Crato, faz apenas um jogo oficial, marca dois golos e, talvez por ser demasiado bom para aquele contexto completamente amador, despede-se do clube sem justificação plausível.

Aparece pouco tempo depois no FC Girondins de Bordeaux e é nessa altura que começa a sua carreira de forma mais séria e profissional. Passou pela equipa B girondina, somou algumas cedências para poder jogar com regularidade (US Órleans Loiret Football em 2012-13, Chamais Niortais FC em 2013-14 e SM Caen na segunda metade de 2014-15). Na primeira metade dessa temporada, ficou no plantel da casa-mãe, mas nunca conseguiu ser uma aposta firme do clube girondino, tendo apenas somado um golo, curiosamente contra o AS Monaco de Leonardo Jardim.

Emiliano Sala tinha acabado de assinar pelo clube galês, Cardiff City FC                                            Fonte: Cardiff City FC

No defeso da época 2015-16, o FC Nantes decide avançar para a sua contratação por cerca de um milhão de euros. É aqui que a sua carreira dá um salto qualitativo considerável e o seu rendimento sobe em flecha, transformando-se na grande referência goleadora da equipa. Em 2015-16, somou seis golos em 35 jogos, em todas as competições. Em 2016-17, foi orientado durante parte da época por Sérgio Conceição (que depois viria a sair para o FC Porto) e subiu a parada para os 15 golos em 39 jogos. E em 2017-18, foram 14 golos em 38 encontros. Como referi atrás, esta estava a ser a sua temporada mais profícua a nível de concretização, onde já levava 13 golos em apenas 21 jogos. Tinha assinado o contrato da sua vida no domingo passado e ingressaria na liga mais competitiva do planeta de imediato.

De Sala, temos a imagem de um avançado fortíssimo fisicamente, evoluído q.b. do ponto de vista técnico, com conceitos colectivos de entendimento do jogo muito interessantes e com um apurado sentido de baliza. Diz quem o conhece que é um guerreiro e lutou sempre com determinação pelos seus objectivos e por uma vida melhor, razão pela qual cedo saiu da sua zona de conforto, mas de origens muito humildes, em Santa Fé, na Argentina, para se lançar à conquista do sonho europeu, que norteia as ambições de qualquer jovem jogador sul-americano. Oxalá ainda esteja entre nós para prosseguir a sua missão aqui na Terra. Como disse Sérgio Conceição nas suas redes sociais: “Se existem milagres, peço um agora.”

Foto de capa: FC Nantes

Artigo revisto por: Jorge Neves

Comentários