Com a possibilidade da saída de Nuno Mendes na próxima temporada, chegam alguns rumores sobre os possíveis sucessores do lugar do internacional A português. O mais recente nome relatado na imprensa é o de Rúben Vinagre. O lateral de 21 anos é jogador do Wolverhampton Wanderers FC e atua, por empréstimo, no FC Famalicão.

Rúben Vinagre fez parte dos quadros da formação do Sporting CP durante três anos.  Proveniente do CF Os Belenenses, atuou pelos sub-15 e sub-17 leoninos, tendo sido posteriormente transferido para os juniores do Mónaco. Porém, o clube onde se destacou, e onde chegou mesmo a ser titular, foi nos Wolves de Nuno Espírito Santo. Na temporada 2019/2020, Vinagre desempenhou 32 jogos oficiais pelo emblema inglês.

Atualmente, no clube famalicense, o internacional sub-21 pela seleção portuguesa pegou de estaca, tendo sido titular em todos os jogos desde a sua chegada. Tem sido um dos elementos de destaque de uma formação que tem vindo a crescer nas últimas jornadas.

Anúncio Publicitário
Rúben Vinagre tem sido uma agradável surpresa ao serviço do FC Famalicão
Fonte: Carlos Silva / Bola na Rede

O jogo de Rúben Vinagre destaca-se sobretudo no momento ofensivo. Penso que encaixaria muito bem no modelo de Rúben Amorim visto que, na posição de ala, a liberdade atacante é bastante maior. Tendo em conta que os Wolves atuam também com três centrais, fazer o corredor esquerdo por inteiro não é novidade nenhuma para o jovem. Vinagre é um jogador rápido, com uma técnica bastante apurada e um jogador que se revela esclarecido no último terço.

Dizer que Rúben Vinagre seria um alvo certeiro é um pouco arriscado. Apesar de todas as qualidades que mencionei anteriormente e da sua boa forma na atual edição do Campeonato Português, não sei até que ponto seria fácil obter o defesa esquerdo por uma quantia razoável. O atleta está avaliado em cinco milhões de euros, segundo o site Transfermarkt, e penso que essa quantia seria o máximo que a direção de Frederico Varandas estaria disponível a oferecer pelo passe do português.

Penso que a melhor opção para o clube leonino seria um empréstimo com opção de compra, parecido ao negócio de Pedro Porro. Assim, mesmo que o valor da cláusula fosse maior do que os cinco milhões, o Sporting CP teria sempre a hipótese de deixar terminar o empréstimo, caso achasse que não valia a pena a permanência do ativo.

É um jogador que vale a pena ter debaixo de olho, visto que é uma das opções a ter em conta para atacar a próxima temporada.