Mais um fugitivo na debandada de Alcochete. O ex-presidiário Rúben Semedo conseguiu brindar a sua liberdade com a transferência de Gelson para o Atlético Madrid. “Cu bo ti españa carajo” foi o sms enviado pelo novo jogador dos colchoneros. A polícia espanhola emitiu um alerta para reforçar a segurança em Madrid. Com Gelson e Rúben Semedo na área é tudo uma questão de horas até haver um tiroteio. Miguel, tens aqui uma bela dupla de substituição nas noitadas do docks.

Já Mbemba, o reforço azul e branco, chegou ao Porto de triciclo e saiu de cadeira de rodas no primeiro treino. O jogador congolês a demonstrar todo o seu potencial e a recordar os mais distraídos do meio transporte que utilizou quando foi registado no seu país natal.

Enquanto empurrava a cadeira de rodas, Mikel Agu aproveitou os jornalistas desocupados para demonstrar a sua insatisfação de não ter raízes criadas na cidade do Dragão e que isso é importante para a sustentabilidade de uma família e de um filho recém-nascido. Uma inspiração para uma nova telenovela mexicana.

Maxi Pereira e Sérgio Oliveira foram apanhados a gozar com o novo visual de Herrera
Fonte: FC Porto

Parece que o síndrome de Carrillo atingiu o plantel do Benfica. Depois de Vieira ter prometido “roubar” jogadores ao Sporting, Jonas está decidido a rumar às trutas árabes e deixar as pistolas no jardim das papoilas. A insatisfação está no incumprimento do presidente em ter conseguido jogadores actuais para resgatar antigas glórias como Pacheco. O universo leonino ficou, indiscutivelmente, mais pobre.

Na Argentina, Maradona ainda não dirigiu o afastamento do seu país do mundial da Rússia. Numa entrevista à comunicação social deu para perceber qualidades técnicas ao nível de Toni e os seus tempos áureos com Manuel Vilarinho. Quem também pareceu estar embriago foi Carvajal.

O defesa madrileno concedeu uma entrevista onde afirmou que Raúl González é o melhor jogador da história do Real. Dani, se me estás a ler, as lesões não se superam com álcool. Se Camilo Castelo Branco fosse vivo mudaria o título do seu livro para uma perdição sem amor vivo. O jogo, o futebol que virou sedento de tios patinhas e ausente de um amor capaz de passar de trazer um joelho curado ao Mantorras.

Foto de Capa: Club Atlético de Madrid

Artigo revisto por: Rita Asseiceiro

Comentários