O internacional português Beto, que está atualmente ao serviço do Goztepe SK, foi o convidado desta semana do Bola na Rede TV. O guarda-redes falou um pouco da sua carreira e não esqueceu do episódio dos penaltis frente ao SL Benfica, na Final da Liga Europa.

Beto relembrou a Final de Turim em 2014 e confessou que com «um movimento instintivo» acabou por dar dois passos para a frente, porém, acredita que «houve uma campanha de desvalorização e de desculpa para o facto de o SL Benfica não ter conseguido vencer a Liga Europa». Quanto à “maldição Béla Guttmann”, o internacional português diz que não foi preciso explicar ao balneário sevilhano, pois, a imprensa espanhola já tinha tratado muito o assunto. Contudo, não foi um fator importante para aquele momento.

Atualmente num país onde a paixão de Futebol é de «extremos», o guardião do Goztepe confidenciou que o momento em que o clube turco conseguiu a manutenção o ano transato foi o mais marcante da sua carreira.

O guarda-redes de 38 anos falou ainda dos momentos onde partilhou a baliza com Peter Schmeichel e o filho, Kasper, no Sporting CP e ainda de Vítor Oliveira, o treinador que mais o marcou durante a sua carreira.

Anúncio Publicitário

Artigo anteriorUma pandemia e uma nova oportunidade
Próximo artigoO 11 do século XXI do Chelsea FC
É aluno de Jornalismo na Escola Superior de Comunicação Social, tem 20 anos e é de Queluz. É um apaixonado pelo desporto. Praticou futebol, futsal e atletismo, mas sem grande sucesso. Prefere apreciar o desporto do lado de fora. O seu sonho é conciliar as duas coisas de que gosta, a escrita e o desporto.                                                                                                                                                 O João escreve ao abrigo do novo Acordo Ortográfico.