Com muita experiência no Portugal e no estrangeiro, Edinho parou um pouco da sua carreira para ser presença no Bola na Rede TV. O avançado português falou sobre o caso da descida do CD Cova da Piedade e sobre as aventuras na Grécia. Para o futuro, Edinho tem a sua meta traçada, porém, até agora, só há contatos com clubes e nada concreto para a próxima época.

Devido à pandemia de COVID-19 e ao cancelamento da Segunda Liga, a FPF tomou a decisão de descer o clube de Almada para o Campeonato Portugal e Edinho guarda ainda “um sentimento de extrema revolta“. «Não gera dinheiro, não é importante? Então vamos acabar com a Segunda Liga. Somos todos profissionais e não deve haver distinção entre os da Primeira Liga e os da Segunda Liga», desabafou. O avançado português acredita ainda que a FPF devia ter ouvido os jogadores da Segunda Liga, pois, nunca chegou a acontecer.

Com experiências na Espanha e na Turquia, o avançado português não esquece os tempos na Grécia. Edinho relembrou alguns episódios quando partilhava o balneário o brasileiro Rivaldo, colega de equipa no AEK Atenas. Contudo, o momento que mais marcou o jogador foi a espera dos adeptos do PAOK FC após uma derrota FC Aris Salónica. Ainda assim, lembra o momento foi importante para encarar aquilo que foi a sua carreira.

Edinho revelou ainda já ter estado perto do SL Benfica e do Sporting CP, porém, os contatos não se concretizaram e, em ambas as formações, as saídas dos treinadores (José António Camacho e Ricardo Sá Pinto) levaram a que Edinho a não envergasse nenhuma das camisolas dos “grandes” de Lisboa.

Anúncio Publicitário

Quanto ao futuro, o jogador só pensa em terminar com 40 anos por causa de uma aposta que fez com o pai, Arnaldo Silva, que também terminou nessa mesma idade. Todavia, gostaria de ficar em Portugal por conhecer melhor a Liga e também para ficar perto da família.