O Bola na Rede teve a oportunidade de entrevistar o ponta-esquerda do Águas Santas, Mário Oliveira. Atualmente com 27 anos, e a atingir uma excelente forma no clube maiato, Mário falou-nos da boa época da formação maiata no campeonato nacional de andebol, traçando como objetivo coletivo o acesso à Taça Challenge. Falou-nos ainda da sua “bolada” a Alfredo Quintana no jogo diante do FC Porto bem como da coesão e do bom ambiente que se vive no plantel da formação nortenha. Temas abordados numa entrevista que não vais querer perder.

Bola na Rede (BnR) – O Águas Santas está neste momento no 4º lugar do campeonato nacional, que dá acesso à Taça Challenge. Até que ponto é que o apuramento para essa competição é um objetivo alcançável pelo Águas Santas?

Mário Oliveira (MO): Sim, claramente. Esse é o nosso foco, pretendemos ficar em quarto lugar. O quarto lugar dá acesso à Taça Challenge e é isso que pretendemos.

BnR: Estás no Águas Santas há quantas épocas?

MO: Comecei nos Juniores do Águas Santas, em 2009/2010, portanto, vai fazer agora 10 anos.

BnR: E a entrada nos Seniores?

MO: Foi na mesma época.

BnR: Qual a grande diferença nessa passagem dos Júniores para os Séniores?

MO: Já foi um choque muito grande vir de um clube como o Santana para o Águas Santas, é totalmente diferente, as exigências ao nível do treino, a nível técnico, a nível tático. É totalmente diferente. Foi um choque grande, claro. Inicialmente era um miúdo lá no meio dos grandes craques, por assim dizer. Mas tive que me adaptar e penso que me adaptei bem. E os anos foram passando e fui-me mantendo lá no clube, integrando-me cada vez melhor, e já passaram dez anos.

Mário Oliveira, tem sido um dos elementos preponderantes na excelente época do clube maiato no campeonato nacional de Andebol
Fonte: Associação Atlética de Águas Santas

BnR: E desde essa altura até agora sempre tiveste na equipa Sénior?

MO: Em primeiro lugar, fui para lá para os Júniores. Depois, por uma lesão de um colega, acabei por ir para os Séniores e nunca mais sai de lá até agora.

BnR: O envolvimento com o restante plantel é positivo? Há assim algum elemento que tu destaques como tendo uma melhor relação…

MO: Sim, tenho alguns que são meus amigos pessoais. É normal com o passar dos anos, já os conheço há muitos anos, é normal que isso surja.

BnR: Mário, é quase inevitável esta pergunta, mas tenho que a fazer: o que te passou pela cabeça de fazer aquilo ao Quintana no jogo contra o FC Porto (n.d.r: Mário Oliveira atingiu o guarda-redes do FC do Porto, Alfredo Quintana, com a bola na cara durante a marcação de um livre de sete metros)?

MO: Foi um ato furtuito do jogo, não foi de propósito, obviamente não quis fazer isso a um colega de trabalho. Mas são coisas que acontecem no Desporto.

BnR: Chegaste a falar com o Quintana sobre isso?

MO: Claro, claro. Pedi-lhe desculpa várias vezes e ele também foi sempre muito correto, aceitou desde o início o meu pedido de desculpas, percebeu aquilo que aconteceu, é um atleta de alta competição, e sabe que essas coisas acontecem.

BnR: Por último, Mário, qual achas que tem sido o segredo para o sucesso do Águas Santas esta temporada?

MO: Temos um bom espírito de grupo, temos bons atletas, temos uma boa equipa técnica e quando assim é, tudo é mais fácil.

BnR: Ok, Mário, obrigado pelo teu contributo.

Foto de Capa: Associação Atlética de Águas Santas

Comentários