Na ressaca dos festejos de mais um aniversário, o Bola na Rede foi conhecer o “novo” Sociedade União 1.º Dezembro. No ano em que celebra o seu 138.º aniversário, o clube do concelho de Sintra apresenta-se de cara lavada, com uma nova SAD e um projeto sólido e sustentável, transversal a todos os escalões de futebol.

Lourenço Cardoso de Menezes, atual diretor-geral do clube, recebeu o Bola na Rede e apresentou este novo projeto que “começou a ganhar forma há cerca de dois anos, com a procura por investidores que estivessem alinhados com a nossa visão base”. E qual é essa visão? “Uma SAD que trabalhasse todos os escalões do clube e não apenas a equipa principal”, explica o novo diretor-geral do Primeiro.

Uma nova geração de SAD está a nascer no 1.º Dezembro
Fonte: 1.º Dezembro

Se para muitos a demora em encontrar o investidor certo teria sido um entrave para o sucesso do projeto, para o diretor-geral do 1.º Dezembro acabou por ser algo muito positivo. ”Isto permitiu conhecer muito bem o 1.º Dezembro, a realidade do clube, mas também conhecer outras SADs que foram constituídas e aprender com casos que não funcionaram tão bem.

A aprendizagem fez parte deste processo desde o primeiro dia. Para Lourenço Cardoso de Menezes, “foi fulcral perceber a importância do clube ter um projeto. Primeiro, para não ficar ‘refém’ do investidor. E segundo, para que, quando escolhêssemos o investidor, pudéssemos apresentar o projeto e ir de ‘mãos dadas’ para um projeto sustentado.”

Nas palavras do diretor-geral do clube, o resultado de todo este processo foi, não uma SAD by the book, mas “uma SAD pensada para o 1.º Dezembro, de acordo com a sua estrutura, a sua história, a sua localização, a dimensão do clube, o tipo de sócios, e tendo em conta que é um clube que só pratica futebol.”

Um dado curioso que descobrimos com o decorrer da conversa: o novo 1.º Dezembro conta com um “velho” conhecido do futebol português: Alex Bunbury, antigo jogador do CS Marítimo. O canadiano, que pisou os relvados portugueses na década de 90, é um dos elementos da nova SAD do clube e foi quem abriu a porta ao investidor principal, Rajat Opal.

Um clube “100% Futebol”

A única modalidade do 1.º Dezembro é o futebol, algo que para a direção é “positivo, tendo em conta a estratégia pensada”. Neste novo 1.º Dezembro, não se olha apenas para o futebol profissional, como acontece na maior parte das SADs. Para a equipa principal, os objetivos são claros: investir sem “loucuras”, custos moderados com uma equipa competitiva para o Campeonato de Portugal e uma equipa técnica extremamente qualificada.

A nova SAD do 1.º Dezembro está a investir num projeto consolidado em torno de todos os escalões do clube
Fonte: 1.º Dezembro

A ambição é crescer de forma sustentada e que a SAD tenha um propósito único, ou seja, que investidores e clube estejam alinhados em termos de interesse e ambição. Como refere Lourenço Cardoso de Menezes, “o investidor não vem investir na primeira equipa para ter mais-valias, mas sim para investir no clube, nas instalações, nas melhorias necessárias nas infraestruturas de apoio, na academia. Potenciar as três áreas, Futebol profissional, Academia e área de suporte, para que o clube possa crescer de uma forma sustentada. O investidor não olha só para a equipa principal”, conclui.

Algo invulgar, arriscamos dizer, provavelmente inédito no futebol português, é a forma como foi reorganizada a estrutura do Primeiro. O treinador principal do 1.º Dezembro é também coordenador de todo o futebol do clube. Bruno Álvares, treinador com as certificações de nível A e Elite Youth pela UEFA, já passou pela Academia do Benfica, no Seixal, e foi campeão pelo Benfica de Macau, tendo depois regressado a Portugal e liderado as equipas do Atlético CP, CD Fátima e Sporting de Guadalupe, antes de integrar o projeto do 1.º Dezembro. Todo o planeamento, estratégia e gestão do futebol do clube passam pelas suas mãos (e cabeça).

Outra das novidades implementadas foi a criação de uma equipa B no escalão sénior e outra no escalão de juniores. Porque é nesse período de transição, em que se perdem tantos jogadores, que o clube pretende atuar. A criação das equipas B na equipa principal e nos juniores veio precisamente auxiliar essa transição no processo de desenvolvimento dos jogadores.

Atualmente, estão a ser feitas várias melhorias nas infraestruturas do clube
Fonte: 1.º Dezembro

Há uma visão e interesses comuns entre clube e SAD que Lourenço Cardoso de Menezes acredita serem fundamentais para o sucesso do projeto no futebol. “Vemos tantos casos em que o clube quer ir por uma direção e a SAD quer ir por outra, acabando o projeto por falhar. Desde o primeiro dia que o nosso objetivo foi ter clube e investidores totalmente alinhados.” O clube tem presença na SAD e na direção da mesma. São duas entidades diferentes, mas com o mesmo propósito.”

Porque a tecnologia faz cada vez mais parte do dia a dia de qualquer equipa de futebol, a nova direção do clube decidiu também investir num software de gestão de futebol, que foi aprimorado e é utilizado, entre outros, pelo Sporting CP.

O 1.º Dezembro avançou para este investimento e, após várias reuniões, testes e ajustes finais, o software vai estar operacional no início de 2019. Mais uma vez, será utilizado por todas as equipas do clube nas áreas de treino, componente física, nutrição, entre outros. Uma plataforma de gestão integrada, transversal a todos os escalões do clube.

Pôr Sintra no mapa do futebol

Muito poucos saberão, mas o 1.º Dezembro é o clube com a data de fundação mais antiga que compete oficialmente no futebol federado em Portugal. “O clube é anterior à vinda do futebol para Portugal”, refere, com orgulho, Lourenço Cardoso de Menezes.

O Campo Conde Sucena, em Sintra, é a casa do 1.º Dezembro
Fonte: 1.º Dezembro

É por força desta influência histórica que outro eixo estratégico do novo projeto do 1.º Dezembro é a intervenção local, em Sintra, com o objetivo de “colocar Sintra no mapa do futebol”. O diretor-geral do clube afirma que ”queremos ser a bandeira de Sintra. Já o somos um bocadinho, mas queremos ser mais. Sintra é o segundo maior concelho do país e é o segundo concelho com mais jovens em Portugal. É também o concelho mais diverso- tem praia, turismo, malha urbana, indústria, mesmo até em níveis sociais. Brotam aqui milhares de talentos todos os anos. Queremos aproveitar isso e ser uma referência aqui na região”, completou.

É sabido que vários clubes vêm recrutar jogadores a Sintra e muitos jogadores da seleção portuguesa foram até formados neste concelho, casos de Nani, William Carvalho e Nélson Semedo.

De Sintra para o Mundo

É inegável que o futebol português atravessa um momento único na sua história, com a conquista de vários troféus europeus a nível de seleções, prestações meritórias em fases finais de competições e jogadores e treinadores portugueses a darem cartas nos principais campeonatos na Europa.

Com base neste sucesso e projeção mundial, outro vetor fundamental do novo projeto do 1.º Dezembro é a abertura a mercados internacionais. A rede de contactos dos novos acionistas permitiu abrir o clube aos Estados Unidos e ao Canadá, através de parcerias com academias e instituições nestes países. O clube já recebeu dezenas de jogadores e treinadores para treinar durante algum tempo com os seus atletas e técnicos.

Lourenço Cardoso de Menezes adianta que “atualmente, um dos nossos pontos fortes é a capacidade de gerar receitas com estes programas internacionais.”

Pelo perfil dos principais acionistas do clube, ambos canadianos, o mercado norte-americano é aquele com quem o clube tem estreitado relações. E também não é alheio a isto o facto de Estados Unidos, Canadá e México terem sido escolhidos para organizarem em conjunto o campeonato do Mundo em 2026. Naturalmente, esta decisão mobilizou muito interesse e reforçou a aposta dos clubes e das federações no futebol, em especial no Canadá.

O 1.º Dezembro tem recebido muitas equipas e jogadores provenientes do mercado norte-americano
Fonte: 1.º Dezembro

O trabalho que o clube tem desenvolvido nesta área é o de trazer equipas para programas de treinos de algumas semanas ou meses e, também, trazer jogadores de forma individual, que são integrados nas equipas e que beneficiam da experiência e conhecimento do corpo técnico do 1.º Dezembro.

Algo que ajuda a potenciar o período de experiência destes jogadores são as já referidas equipas B, tanto nos seniores como nos juniores. Esta conjuntura permite aos jogadores treinar com a equipa principal e jogar pela equipa secundária, caso ainda não tenham atingido o nível para jogar pela equipa principal. Não só beneficiam com o treino, como também têm um tempo de jogo superior, que, caso apenas existisse a equipa principal, não seria possível.

A mais-valia deste processo é que permite ao jogador aumentar o seu rendimento e, quando voltar ao país de origem, estar mais habilitado a obter uma bolsa para a universidade.

#FormarPRIMEIRO

“FormarPRIMEIRO”. É este o lema para a Academia do 1.º Dezembro que, como explica Lourenço Cardoso de Menezes, “acima de tudo quer formar bons homens. Primeiro que o jogador, está o ser humano e queremos transmitir-lhes valores e disciplina, para que sejam jogadores bem formados e com carácter. Não nos podemos desligar da educação dos nossos jovens, tanto a nível técnico e tático, como a nível pessoal.”

FormarPRIMEIRO é o lema da Academia do 1.º Dezembro
Fonte: 1.º Dezembro

São quase 300 os jovens da Academia, que é uma referência no futebol de formação em Portugal, e o objetivo é chegar aos 400 dentro de dois anos. A nova SAD projeta utilizar o futebol de uma forma positiva, promovendo comportamentos saudáveis, de sã convivência e respeito por todos os intervenientes da modalidade.

Algumas das iniciativas neste sentido incluem a decisão de não colocar nas redes sociais do clube os resultados dos escalões de formação, mas sim pequenos-almoços conjuntos com os miúdos da academia e os jogadores da equipa sénior, para sensibilizar para os valores da Família e acerca da importância da alimentação para os atletas.

O projeto para a Academia do 1.º Dezembro não acaba aqui e os planos são para o aproveitamento de quase 50 mil m2 no terreno situado na parte superior do Campo Conde Sucena, para a construção de uma infraestrutura exclusiva para a Academia. O objetivo é a melhoria das condições para os jovens do clube e o aumento da capacidade para receber jovens dos programas internacionais.

O futuro lê-se Futebol Feminino, Certificação e eSPORTS

Quando se fala no 1.º Dezembro, o primeiro pensamento vai imediatamente para a década e meia (mais coisa menos coisa) em que o clube dominou o futebol feminino nacional. Recordista nacional de títulos (mais de 20 títulos nacionais), o futebol feminino do Primeiro está extinto desde 2012 e o projeto da nova SAD aponta para o “fazer renascer em 2019, primeiro com os escalões de formação e depois com a equipa sénior”, refere Lourenço Cardoso de Menezes.

O 1º Dezembro dominou o futebol feminino nacional durante mais de uma década
Fonte: Nadine Pires/1.º Dezembro

Segundo o novo diretor-geral do 1.º Dezembro, o regresso do futebol feminino é algo muito ansiado pelos sócios do clube e pelas pessoas que acompanham o seu dia a dia, mas “é algo que tem que ser estruturado e pensado com calma, como parte integrante de um projeto sustentado. Está nos nossos planos, mas não queremos precipitar as coisas. A seu tempo, o 1.º Dezembro voltará a competir no futebol feminino”, garante o novo diretor-geral do clube.

A nova SAD do Primeiro aponta também para a Certificação do clube como uma prioridade. “A Federação Portuguesa de Futebol tem um plano de certificação que mostra como os clubes têm que estar organizados. No ano passado, lançaram para as equipas profissionais e este ano estenderam o programa para os restantes clubes, com o objetivo de terem todos certificados até 2021, sob pena de, se não cumprirem, perderem apoios e autorização para competir e formar.”

Um dos objetivos da nova SAD é obter a certificação da FPF para entidade formadora
Fonte: 1.º Dezembro

O novo modelo de Certificação de Entidades Formadoras da FPF, em vigor desde o início desta época, tem como principais objetivos a organização dos clubes e a sua melhoria na qualidade do processo de formação, independentemente da dimensão e do nível competitivo em que se encontram enquadrados.

Lourenço Cardoso de Menezes considera que este é um tema muito relevante hoje em dia e “que nos ajudou bastante no planeamento financeiro, no desenho e implementação da estrutura organizacional, na formação desportiva, na parte médica, instalações, entre outros.” O diretor-geral do 1.º Dezembro aplaude o esforço da FPF nesta matéria e refere que o clube já está inscrito para obter a certificação. Nos próximos meses, o clube será sujeito a inspeções e auditorias e espera “no final da época ter o carimbo da certificação.”

LEIA MAIS: Capitão à procura de lugar ao sol no banco – Entrevista a Beto

E porque não é só no estádio que se joga futebol, no “campo” dos eSPORTS, o 1.º Dezembro também vai ter uma palavra a dizer e, já no início de Janeiro, será lançada a equipa que vai competir nesta modalidade. A prova de que a nova direção do clube está atenta ao ecossistema do futebol como um todo.

Foto de Capa: 1.º Dezembro

Comentários