DIA 2 – A SOBREVIVÊNCIA DOS CLUBES, UMA LIGA EM EXPANSÃO E O FIM DE CARREIRA

ENTRE A VIDA E A MORTE

Um clube vive – e às vezes até sobrevive – essencialmente por causa de três coisas: dos seus adeptos, dos seus resultados e das suas receitas. Ver a bola a rolar no relvado é importante – claro que é -, mas se não houver saúde financeira o clube começar-se-á a quebrar e acabará por morrer. E foi desta maneira que começou o dia 2 da Soccerex: com os modelos de negócio modernos do futebol.

Há clubes que realmente estão num panorama completamente diferente de outros. E tivemos a experiência de três clubes bastante distintos neste dia. SL Benfica, Juventus FC e Sevilha FC deram a conhecer alguns detalhes deste mundo financeiro. Os três dependem – ainda que de formas diferentes – das receitas ganhas nas competições europeias, dos patrocinadores ou até de mercados exteriores ao do mundo do futebol.

A European Club Association (ECA) até tem um projeto interessante de criar uma plataforma única europeia (tal como a União Europeia fez) para conseguir tirar o melhor potencial de todas as equipas. Porém, com 2021 a chegar e com ele uma nova competição da UEFA, teremos um avanço para os clubes pequenos ou um fosso ainda maior? Veremos… Enquanto isso há muitos clubes entre a vida e a morte por toda a Europa, onde alguns históricos tendem a acabar.

Anúncio Publicitário

O PRODUTO PORTUGUÊS

Muito se fala no talento português que existe no desporto rei. É verdade, somos bons. Mas conhecem a nossa liga lá fora? Às vezes. Há locais que conhecem, mas também se deve ao facto de muitos desses países tiveram/têm jogadores a jogar na nossa liga, como é o caso do México ou da Colómbia. Contudo, isso não chega.

É verdade que o jogador, ou treinador, português é de grande qualidade e está pelos quatro cantos do mundo. E isso chegará? Pelos vistos não… Com a presença de Pedro Martins, treinador do Olympiakos, falou-se de como o futebol português é visto na Grécia e as indicações são muito positivas.

Pedro Martins, treinador do Olympiakos, é um dos treinadores que tem tido sucesso no estrangeiro
Fonte: Soccerex Europe

O projeto da Liga Portugal de ter antigos jogadores como embaixadores da própria liga é importante a vários níveis. Desde compreensão do que se passa dentro de campo ou dentro de um clube, mas também a aconselhar como se devem gerir alguns problemas que possam aparecer. E também pode ser um dois em um porque muitos destes embaixadores têm um alcance internacional e pode ser fundamental na «internacionalização da Liga», que era o que estava a ser discutido.

Mas porque é que o subtítulo é “Produto Português”? Pois durante muito tempo foi alertado que a qualidade existe até cá dentro… Os jovens jogadores precisam apenas de uma oportunidade para a mostrar e é coisa que não têm tido em Portugal e acabam por não emergir cá. Depois, acaba a Liga por não ter visibilidade. E este foi um foco muito importante deste dia.

OS CONSELHOS PARA OS MAIS JOVENS E A HORA DO ADEUS

Não é fácil saber que a hora de terminar a carreira está perto de terminar. E pior ainda é ter de começar tudo do zero após o término da vida como jogador profissional. Muitos têm o sonho de continuar ligados ao futebol, seja com que cargo for, e outros seguem outro tipo de caminhos que não são ligados ao desporto em que destacaram.

Paulo Ferreira, Christian Karembeu, Nuno Gomes, Louis Shea e Ella Masar são nomes que fizeram história no futebol e que, infelizmente, já penduraram as botas. Os cinco estiveram na Soccerex e contaram a sua experiência fora dos relvados e não só.

Todos têm – ou vão ter – um trabalho ligado com o futebol. Na maioria dos casos, a preocupação é ajudar os mais novos no início de carreira e passar-lhes alguns ensinamentos de como devem agir. Porque num mundo como este perderem-se é muito mais fácil do que obterem sucesso.

O sonho comanda a vida e todos temos sonhos. Cabe-nos saber se vai ser realizado ao não. E, por isso, está nas mãos dos jovens – e também daqueles que os possam ajudar, de verdade – fazer com que tenham sucesso.

Enfim, foram dois dias em que, finalmente, se falou de assuntos muito importantes do futebol europeu. Será pedir muito para que em Portugal haja mais eventos como este? Acho que seria muito enriquecedor para todas as partes. Não só para clubes, federações, ligas, jornalistas, mas, sobretudo, para o público, que por vezes não conhece este tipo de realidades. Cabe a nós [jornalistas] mostrar que ainda há eventos que valem a pena e mostrar que há assuntos que merecem ser discutidos.

O Soccerex Europe está de volta para o próximo ano e tem lugar assegurado novamente em Oeiras, Portugal. E será um orgulho receber novamente este evento no nosso país.

Reportagem de Inês Santos e João Pedro Barbosa

Foto de Capa: Soccerex Europe

artigo revisto por: Ana Ferreira