Relativamente ao segundo objetivo – obter um lugar a meio da tabela, encontram-se os clubes que costumam complicar a vida aos crónicos candidatos ao título e, por vezes, costumam ser uma agradável surpresa, no que diz respeito à obtenção de um lugar na classificação que permite participar nas competições africanas de clubes (Liga dos Campeões de África e Taça das Confederações CAF), sendo elas, por exemplo, o Interclube, o Benfica de Luanda, o ASA, entre outras.

Quanto ao último objetivo – lutar para não descer de divisão, geralmente estão as equipas que sobem de divisão e que alcançam um lugar na tabela acima da “linha de água” na edição anterior (regra geral, descem duas equipas no final da época), embora seja complicado prever quais as equipas que podem ser inseridas neste lote, uma vez que as classificações e subidas de divisão variam de ano para ano.

Por último, é importante referir que em cada jogo de uma jornada do Girabola é possível observar a genuína essência do povo angolano: um enorme aglomerado populacional nos estádios, um elevado ruído criado pelos gritos efusivos dos adeptos desejosos que a bola comece a rolar no relvado e, sobretudo, muita festa, principalmente nas celebrações dos golos, onde os jogadores e adeptos dão asas à imaginação na hora de festejar o principal objetivo de um jogo que move paixões, daí que o campeonato angolano, ou melhor, o Girabola seja visto como a Festa do Futebol.