A CRÓNICA: INTENSIDADE ESTONTEANTE EM TARDE RECHEADA DE GOLOS

O BayArena era o palco de um dos jogos grandes da 21ª jornada da Bundesliga, em que o Bayer Leverkusen recebia o Borussia Dortmund, com as equipas separadas apenas por cinco pontos na tabela classificativa. Num encontro de expetativa elevada e que em nada ficou aquém, o grande equilíbrio e intensidade imposta por ambas as equipas foi nota dominante desde o primeiro momento em que a bola rolou.

Numa primeira parte incrível, que contou com quatro golos, foi a equipa visitante quem entrou melhor, colocando a baliza do Leverkusen em alerta por intermédio de Haaland, mas foram mesmo os farmacêuticos que inauguraram o marcardor. Kevin Volland – melhor marcador da formação da casa – foi o autor do primeiro tento da partida, num momento de transição rápida por parte do Leverkusen, com Amiri a fazer um passe para o avançado alemão, que “rasgou” por completo a defesa adversária. O Dortmund não se fez rogado e, apenas dois minutos depois, o defesa Matts Hummels subiu à área contrária e empatou a partida, após a conversão de um canto.

A intensidade que as duas equipas impunham no jogo era tal, que o Leverkusen ainda introduziu a bola dentro da baliza adversária pouco depois, mas viu o golo ser anulado por fora de jogo de Moussa Diaby. A formação auri-negra voltou a responder, desta feita por intermédio do estreante Emre Can – reforço de inverno contratado à Juventus FC – que tirou um coelho da cartola e apontou um golo absolutamente magistral de fora da área.

Anúncio Publicitário

Com o relógio muito perto do intervalo, o Bayer Leverkusen voltou a empatar a partida, com Volland a bisar, numa altura em que o Dortmund estava por cima do jogo e mais perto de ampliar a vantagem.

No regresso das equipas para a segunda parte, ambos os treinadores procederam a alterações, com Mitchell Weiser a ser aposta de Peter Bosz na formação da casa, e com o jovem norte-americano Giovanni Reyna a entrar para o lugar de Julian Brandt no Borussia Dortmund. No recomeço do segundo tempo, nenhuma das equipas retirou o pé do acelerador, com Sancho a ver um golo anulado ao minuto 51, por falta no decorrer da jogada do recém-entrado Reyna sobre Lars Bender.

Ao minuto 63, uma bola no poste da baliza defendida por Burki, por intermédio de Havertz, originou um contra-ataque do Dortmund, que só terminou com a bola dentro da baliza defendida por Lukas Hradecky, com o internacional português Raphäel Guerreiro a fazer o gosto ao pé e a colocar, assim, a sua equipa na frente do marcador, após uma grande sequência de passes rápidos por parte dos auri-negros.

Em desvantagem no marcador, Bosz voltou a mexer na equipa, e colocou em campo o rapidíssimo extremo Leon Bailey. O jogador viu um golo ser anulado por fora de jogo, mas a alteração deu mesmo frutos, pois dez minutos depois de ter entrado, o jamaicano restaurou a igualdade na partida.

O Leverkusen aproveitou o momento positivo na partida e, em apenas dois minutos, mudou o rumo da partida ao colocar-se na frente do marcador, com uma cabeçada certeira de Lars Bender para o fundo das redes da baliza de Burki.

A formação da casa conseguiu impor-se no que restou da partida e preservou a vantagem, acabando mesmo por sair vitorioso do encontro. Com esta vitória o Bayer Leverkusen mantém-se no quinto lugar da Bundesliga, mas reduz a desvantagem para o Borussia Dortmund em dois pontos, ficando mais perto dos lugares europeus. Já o auri-negros preservam, temporariamente, o terceiro lugar, ficando mais longe dos primeiros lugares da tabela que são ocupados por FC Bayern e RB Leipzig, que se defrontam nesta mesma jornada.

A FIGURA

Bayer 04 Leverkusen

Kevin Volland – O atacante alemão de 27 anos fez uma exibição de grande nível, ao bisar na partida e ao representar um perigo constante para a defesa do Dortmund, que pouco ou nada conseguiu fazer para travar a velocidade e a excelente tomada de decisão do melhor marcador do Bayer Leverkusen. Destaque ainda para a irrepreensível exibição do estreante defesa-central Tapsobsa (ex-Vitória SC).

O FORA DE JOGO

Fonte: Borussia Dortmund

Erling Haaland – O jovem avançado norueguês que marcava há quatro jogos consecutivos, registou uma exibição um pouco apagada, não tendo conseguido criar perigo de maior à baliza do Bayer Leverkusen. Ainda assim, há que dar mérito à defesa dos “farmacêuticos”, especialmente ao estreante Tapsoba, que conseguiram controlar as ações de Haaland no encontro com alguma facilidade. 

ANÁLISE TÁTICA – BAYER 04 LEVERKUSEN

A equipa da casa alinhou num esquema base de 4-2-3-1, privilegiando uma estratégia de transições rápidas, com um futebol apoiado e de passe curto. Nos momentos de menos pressão exercida pelo Dortmund, tentavam trocar a bola com critério no seu meio-campo, com o jogo a rodar muito pelos defesas, à procura de espaços onde fosse possível colocar a bola com qualidade. À semelhança do que iam fazendo os auri-negros, também eles tentaram pressionar a saída de bola adversária, esperando obrigá-los a cometer erros. Kai Havertz, virtuoso médio ofensivo do Bayer, tentou servir, constantemente, os seus companheiros sempre que tinha a bola no meio-campo ofensivo. Na equipa dos “farmacêuticos” houve também lugar a uma estreia de um atleta bem conhecido do futebol português. Edmond Tapsoba, central do Burkina Faso que trocou os minhotos do Vitória SC pela formação alemã em janeiro, pisou, pela primeira vez, o relvado do seu novo clube e registou uma grande exibição. Na segunda parte, Peter Bocz colocou Weiser e Bailey, com o segundo a ser decisivo no encontro ao marcar o golo do empate (3-3). O defesa Aleksandar Dragovic também foi aposta nos últimos momentos do encontro, de maneira a ajudar a equipa a preservar a vitória.

 

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

Hradecky (6)

Sven Bender (6)

Tah (6)

Tapsoba (7)

Sinkgraven (7)

Lars Bender (8)

Amiri (7)

Bellarabi (6)

Havertz (7)

Diaby (6)

Volland (9)

SUBS UTILIZADOS

Weiser (6)

Bailey (7)

Dragovic (-)

 

ANÁLISE TÁTICA – BVB DORTMUND

Com o jovem prodígio norueguês Erling Haaland a titular, devido à lesão do capitão Marco Reus, e com o internacional português Raphäel Guerreiro no onze incial, a formação orientada pelo suíço Lucien Favre organizou-se num esquema tático de 4-3-3 no seu processo de construção, com Hakimi a projetar-se pelo corredor direito no processo ofensivo e com o médio alemão Julian Brandt a convergir para o centro do terreno, apoiando o avançado e abrindo espaço para o lateral marroquino. Na transição defensiva, o Dortmund tentou não dar muito espaço ao adversário, aproximando a linha média à defensiva e fechando linhas de passe. Emre Can, contratado à Juventus FC no passado mercado de inverno, estreou-se a titular no campeonato fazendo dupla no centro do terreno com Axel Witsel, tendo sido peça fundamental neste jogo, tanto no processo defensivo como ofensivo, ao marcar um grande golo, candidato a golo do ano da Bundesliga. Com um futebol sempre muito apoiado e de transições rápidas, o Borussia Dortmund tentou, por algumas vezes, colocar a bola em Jadon Sancho pelo corredor esquerdo, de maneira a descompensar a defesa adversária com a velocidade estonteante do jovem internacional inglês. Num jogo que podia ter pendido para qualquer lado, a sorte acabou por não sorrir ao terceiro classificado da Bundesliga.

 

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

Burki (6)

Akanji(6)

Hummels (7)

Zagadou (6)

Hakimi (6)

Can (7)

Witsel (6)

Guerreiro (7)

Brandt (6)

Haaland (6)

Sancho (7)

SUBS UTILIZADOS

Reyna (6)

Hazard (-)

Gotze (-)

Foto de Capa: Bayer 04 Leverkusen

Artigo revisto por Joana Mendes