Cabeçalho Liga Alemã

 

Com os feitos desportivos alcançados nos últimos anos, mais o mediatismo da sua massa adepta, o Borussia Dortmund tornou-se, com mérito, um dos clube mais populares na Europa. Mesmo perdendo, nas últimas épocas, jogadores fulcrais para o rival Bayern Munique, como Lewandowski, Gotze, ou Hummels, o Dortmund conseguiu sempre ter plantéis competitivos, ganhando, ao longo dos anos, a fama de um clube simpático, que lutava em várias frentes com muito menos recursos que outros clubes de elite europeus.

No entanto, todo este reconhecimento trouxe expetativas. E, no caso da equipa alemã, os sucessivos segundos lugares no campeonato, mais as derrotas em fases adiantadas da Liga dos Campeões, parecem ter provocado um grande desgaste, sobretudo nos jogadores.

A constante pressão de adeptos e comunicação social, que atribuíram ao Borussia a responsabilidade de ombrear com o Bayern Munique, e, eventualmente, conquistar os títulos que lhe permitissem afirmar-se de vez como um grande, foi contraproducente, e impediu que a equipa tivesse a tranquilidade necessária nos momentos decisivos.

Anúncio Publicitário

O exemplo mais recente disso mesmo aconteceu esta época. Com o mau início de campeonato do Bayern, o Dortmund isolou-se no comando da Bundesliga. Quando confrontada com a possibilidade de ter o caminho aberto para o título, a equipa tremeu, os resultados começaram a piorar, e foi notório que não tem, como conjunto, a qualidade precisa para agarrar as oportunidades de se tornar em mais do que a segunda melhor equipa alemã.

Atualmente, o BVB ocupa o 5º lugar do campeonato, a já nove pontos do líder Bayern. Na Liga dos Campeões, ocupa o 3º lugar do seu grupo.

 

A época não tem estado a correr bem ao Dortmund Fonte: Borussia Dortmund
A época não tem estado a correr bem ao Dortmund
Fonte: Borussia Dortmund

A ascensão do RB Leipzig a clube de topo na Alemanha tem tornado a situação mais difícil para a equipa do Westfalenstadion.

O projeto desportivo do Dortmund, assente na contratação de vários jovens talentos, e na formação de uma grande equipa, com o desenvolvimento dos mesmos, é uma boa alternativa face à menor disponibilidade para grandes gastos por parte do clube.

No entanto, com a subida do Leipzig à Bundesliga, um clube também com um plantel composto, na sua grande maioria, por jogadores jovens de grande qualidade, para além de um forte apoio financeiro, o Dortmund perdeu um pouco do seu espaço. O seu estatuto de segundo clube alemão, intocável durante anos, era um fator essencial para o Borussia ter tempo e calma para ambicionar algo mais. Com isso ameaçado, surgiram os primeiros sinais de instabilidade. Perante isto tudo, é óbvio que o rumo que o clube está a levar seja questionado.

Por um lado, os jogadores começam a não olhar para o BVB como uma equipa vencedora. E, portanto, as suas principais figuras poderão querer rumar a outros clubes.

Por outro, a massa adepta, incansável no seu apoio, vê que o seu esforço não é refletido dentro de campo. Com os resultados a não aparecer, vai-se acumulando alguma frustração nos adeptos.

É difícil apontar culpados para a série negativa do Borussia Dortmund. O clube parece, sobretudo, ser vítima de uma situação algo complexa. Talvez erradamente classificados como estando ao nível do Bayern Munique, a equipa do Noroeste da Alemanha viu os seus falhanços em estabelecer-se como a equipa dominante na Bundesliga adjetivados como um fracasso.

É mais verdadeiro dizer que o Dortmund se aproximou ao máximo dos seus rivais, e que, no seu auge como equipa, não foi um conjunto de topo, mas sim uma equipa que, num dia bom, e no seu reduto, podia fazer frente a qualquer adversário. Como tal, é justo valorizar o trajeto que o clube tem feito. A consistência com que se têm batido, a nível interno e europeu, é de assinalar, e o facto de saírem mais vezes derrotados do que vencedores é apenas uma consequência de desafiarem os maiores emblemas da Europa.

Pode ser que, se adeptos e direção conseguirem baixar os seus níveis de exigência, o Borussia encontre a tranquilidade para se reerguer, e, sem exageros e euforias, possa ambicionar voltar a conquistar títulos.

Foto de capa: Borussia Dortmund

Comentários