Anterior1 de 3Próximo

No embate de Borussias, os homens de Gladbach, que entraram nesta jornada no segundo lugar da tabela, viajaram ao Signal Iduna Park, em Dortmund, casa do atual líder do campeonato, para tentar abrandar o ritmo da equipa comandada por Lucien Favre.

Mas, desde cedo, os homens de amarelo mostraram o porquê de estarem mais perto do que nunca de quebrar o domínio doméstico do FC Bayern München, instalando-se no setor defensivo do Borussia Mönchengladbach, a que Axel Witsel, Thomas Delaney e Raphaël Guerreiro chamaram seu. Este trio mostrou-se absolutamente imperial no centro do campo, dando apenas espaço para o ocasional contra-ataque adversário, geralmente a mando de Thorgan Hazard ou Florian Neuhaus. Apesar de algumas dificuldades de Ömer Toprak e Julian Weigl, os dois centrais do BVB neste jogo, o guardião Roman Bürki raramente se viu ameaçado.

Aos 30 minutos, um duro golpe para a equipa da casa: Paco Alcácer, o melhor marcador da equipa esta época (dez golos em onze jogos), saiu lesionado e visivelmente transtornado. A equipa perdia assim o seu principal ponta de lança, e para o seu lugar entrou Mario Götze, que se juntaria a Marco Reus na frente de ataque. Apesar do percalço, a equipa de Lucien Favre continuou a dominar.

Assim, quando Jadon Sancho marcou mais um excelente golo, aos 40 minutos – este menino começa a ser um caso muito sério… -, tudo indicava que os homens da casa iriam para os balneários a vencer. Mas eis que, no primeiro minuto de compensação da primeira parte, Christoph Kramer aproveitou uma carambola na grande área do Dortmund para igualar a partida e lançar um balde de água fria sobre os adeptos tipicamente quentes do Signal Iduna Park.

No regresso ao relvado, porém, a mancha amarela, dentro e fora das quatro linhas, manteve o seu ímpeto. Witsel manteve-se como o dínamo da equipa, controlando o ritmo do jogo, abrandando as jogadas e acelerando-as no momento certo. Momento certo que surgiu aos 54 minutos, quando Marco Reus respondeu ao cruzamento rasteiro de Mario Götze para fazer o 2-1.

Reus e Götze festejam o segundo golo
Fonte: BV Borussia Dortmund

Daqui para a frente, o jogo, que estava longe de chegar ao seu termo, já parecia encerrado. Seria difícil adivinhar que estávamos a assistir a um embate entre o primeiro e o segundo classificado da Bundesliga, dada a passividade mostrada pelo Borussia Mönchengladbach, que se limitou a assistir, enquanto o Dortmund criava mais oportunidades (há que destacar o livre direto de Reus, que só não deu um belo golo porque o poste fez ao Mönchengladbach o favor de não se desviar). O apito final – e a vitória do BVB – chegou com toda a naturalidade, com o Gladbach a não conseguir repetir a façanha da primeira parte, deixando o resultado como estava.

Ainda com o jogo do Bayern München – Eintracht Frankfurt por jogar, os jogadores do BVB podem desfrutar deste Natal, sabendo que terão, no mínimo, seis pontos de vantagem para o segundo classificado (isto, caso os homens da Baviera vençam no domingo).

Anterior1 de 3Próximo

Comentários