cab bundesliga liga alema

A segunda jornada do campeonato alemão teve o condão de confirmar algumas dúvidas e conseguir suscitar outras. Nos nove jogos realizados registaram-se quatro empates e em termos de golos foi um fim-de-semana apático.

A confirmação acabou por ser o Borussia Dortmund. A transformação que Tuchel está a trazer à formação que Klopp moldou tem sido a recuperação de valores e o aguçamento da capacidade de chegar à baliza adversária. A avalanche ofensiva traduz-se em muitos golos e a equipa voltou a golear por 0-4. Ginter, que jogou como lateral-direito, abriu o marcador, Reus fez golo na marcação de um pénalti sofrido por Schmelzer (incrível profundidade ofensiva que vem dando pela esquerda), Kagawa facturou com enorme classe e Aubameyang fechou as contas. O Ingolstadt não teve capacidade de contrariar o poderio dos amarelos e pretos e não conseguiu repetir o resultado da primeira jornada.

O campeão sofreu para vencer no campo do Hoffenheim e só na etapa final do jogo é que conseguiu consumar a reviravolta. Os pupilos de Pep estão habituados a fazer história mas neste jogo foram adeptos de um momento histórico. Um mau passe de Alaba deixou Volland isolado e o alemão, com Neuer pela frente, não tremeu e bateu o recorde de golo mais rápido de sempre da Bundesliga, marcando aos 8 segundos. Markus Gisdol montou uma equipa capaz de causar alguns calafrios ao Bayern e só se podem queixar deles próprios. Thomas Müller voltou a marcar – já é um dos candidatos a melhor marcador – e empatou o jogo para os bávaros, mas na recta final do jogo Boateng leva dois amarelos em dois minutos e concede um pénalti. Quando era expectável que o Hoffenheim passasse a ser o dono do jogo, o contrário aconteceu. Neuer assumiu o papel de melhor guarda-redes do mundo e defendeu o pénalti. O Bayern moralizou-se e foi através de uma jogada individual de Douglas Costa, quem mais, que conseguiu desbloquear o resultado através de Lewandowski – o craque polaco foi suplente mas era a referência ofensiva que estava a faltar no esquema de Guardiola.

aa
Volland marcou o golo mais rápido de sempre da Bundesliga
Fonte: Facebook do Bayern

As restantes vitórias deram-se em jogos bastante diferentes. O Bayer Leverkusen arrancou uma vitória a ferros e foi através de um livre teleguiado de Çalhanoğlu, provavelmente o maior especialista mundial, que conseguiram chegar à vitória. O Mainz impediu que o Gladbach de Lucien Favre conquistasse a primeira vitória e venceu por 1-2, com golos de Samperio e Clemens; o Hamburgo venceu em casa o Estugarda (3-2), num jogo onde Ginczek brilhou pelos visitantes com dois golos e Djourou deu a vitória no último minuto.

Num fim-de-semana de muitos empates, o Wolfsburgo viu Simon Zoller fazer um grande golo pelo Colónia e só chegou ao golo do empate através de Bendtner, que vai sendo uma arma secreta vinda do banco. A equipa de Dieter Hecking, tal como o Gladbach, está longe da forma da época passada e a iminente saída de Kevin De Bruyne terá certamente um efeito negativo. Noutro jogo com um grande golo, o Augsburgo empatou a uma bola com o Frankfurt e o destaque é o golo de antologia que Caiuby facturou. O recém-promovido Darmstadt continua sem perder e sem ganhar. O Schalke tinha a obrigação de vencer em casa mas os visitantes mostraram que não vinham para ser bobos da corte e foram mesmo os primeiros a marcar. A equipa da casa igualou através de Draxler (tem tudo para fazer uma grande época mas ainda pode deixar Gelsenkirchen) e estabeleceu um resultado que só beneficia os objectivos do Darmstadt. O primeiro jogo da jornada foi a previsão do que viria aí. O Hertha de Berlim jogou com o Werder Bremen e o resultado foi um empate a uma bola, com golos de Stocker para os da casa e Ujah, possante avançado nigeriano vindo do Colónia, para os visitantes.

Na segunda jornada já se destacam três equipas com duas vitórias em dois jogos: Borussia Dortmund, Bayern Munique e Bayer Leverkusen. A ida de De Bruyne para o Manchester City acaba por ser a notícia da semana – não fosse ele o melhor jogador da Bundesliga da época passada – e abala as ambições do Wolfsburgo.

Jogador da semana:

Hakan Çalhanoğlu – O maior especialista de livres do futebol alemão e provavelmente mundial. Incrível a capacidade que o jogador tem em colocar a bola com régua e esquadro através da marcação de bolas paradas. No jogo deste fim-de-semana decidiu com um livre fantástico e ainda fez estremecer o ferro noutro. Tecnicamente refinado, o turco ainda junta a sua fantástica capacidade de pressão, algo essencial na filosofia de jogo de Roger Schmidt.

Treinador da semana:

Thomas Tuchel – O treinador do momento. O Dortmund já vai na frente e com dois resultados volumosos. A equipa tem confiança e é incrível a mudança de mentalidade que Tuchel conseguiu implementar aquando da sua chegada. Mkhitaryan está pronto para ser figura de proa e Aubameyang prepara-se para assaltar o trono de melhor marcador, tudo graças a Tuchel.

Foto de Capa: Facebook do Bayer Leverkusen

Comentários