Na 26ª edição da Supertaça da Alemanha, o Signal Iduna Park recebia o encontro entre a equipa da casa – o Borussia Dortmund – e o rival Bayern de Munique. Um ano após a goleada por 5-0 imposta pelos bávaros ao Eintracht Frankfurt, era a vez dos auri-negros tentarem contrariar a supremacia do “Gigante da Baviera”.

Enquanto o Bayern tinha três jogadores sub-20 no banco de suplentes – Alphonso Davies, Jann-Fiete Arp e Ryan Johansoon -, o Dortmund contava apenas com um futebolista com idade de adolescente, e no onze inicial: Jadon Sancho.

O jovem inglês de 19 anos, nascido a 25 de março de 2000 em Londres, vem de uma época 2018/2019 verdadeiramente assombrosa. Mesmo não tendo sido desde início titular indiscutível na formação de Lucien Favre, conseguiu desbloquear muitos jogos ao saltar do banco. Os números não mentem: 13 golos e 19 assistências em 43 partidas (2967 minutos); fazendo as contas, é o equivalente a um golo/assistência a cada 92 minutos.

Sancho fez o 2-0 frente ao Bayern na Supertaça alemã (e assistiu Paco Alcácer no 1-0)
Fonte: BVB

Quase a fazer dois anos desde que se mudou do Manchester City FC para o Borussia Dortmund, por apenas oito milhões de euros, Sancho está como peixe na água na Alemanha. Na Supertaça, assistiu Paco Alcácer aos 48 minutos e marcou aos 69’, e foi eleito o homem da vitória do Dortmund por 2-0.

À entrada para a temporada 2019/2020, a expectativa sobre o extremo inglês é muita. Se no ano de estreia em território alemão foi uma das figuras da Bundesliga, agora reúne ainda mais condições para ser o seu maior protagonista.

O campeão europeu sub-17 pela Inglaterra em 2017- e melhor jogador da competição – pode, contudo, estar a realizar a sua última época ao serviço do emblema alemão. Num mercado onde a cobiça dos tubarões europeus por jovens estrelas é grande, Sancho é de momento um dos alvos mais apetecíveis, e aquele que porventura irá protagonizar uma das maiores transferências de sempre.

Se João Félix, com a mesma idade, com menos meses de futebol ao mais alto nível e jogando numa liga com menos visibilidade, movimentou 126 milhões de euros, é muito provável que Jadon Sancho bata o recorde do internacional português e se torne no teenager mais valioso da história do futebol.

Por agora, cabe-nos a nós (adeptos) a tarefa de ver jogar o “miúdo”, que pelos corredores vai ganhando asas e que vai fazendo este Dortmund voar e ambicionar a conquista de troféus que lhe têm escapado.

Revisto por: Jorge Neves

Comentários