FC Famalicão, Granada CF, FC Nantes, Leicester City FC, Borussia VfL 1900 Monchengladbach. O que têm em comum estas cinco equipas?

Tudo… São cinco das grandes surpresas do futebol europeu nos dias que correm.  Os chamados underdogs que perseguem um sonho que um emblema já experimentou. Falamos do fantástico Leicester, orientado por Claudio Ranieri, em 2016, que, sem que ninguém esperasse, venceu a Premier League.

Mas, tal será possível para alguma destas cinco equipas?

Comecemos por Portugal. O FC Famalicão, cuja SAD é detida pelo israelita Idan Ofer, e que, através da sua empresa Quantum Ltd., conta com o conhecimento desportivo do presidente da sua SAD, Miguel Ribeiro, para ir mais além.

Os famalicenses, além disso, contam com o apoio da Gestifute, a empresa do agente de jogadores mais poderoso do mundo: Jorge Mendes, que, fruto da sua rede de contactos, reforçou o clube com qualidade.

Por essa razão, os homens de João Pedro Sousa, antigo adjunto de Marco Silva, encontram-se a realizar um arranque acima de qualquer expectativa. Os famalicenses, assim, só perderam pontos em Guimarães, ao empatar a um, contando por vencidos os restantes jogos, tendo, inclusivamente, silenciado o Estádio José de Alvalade, com uma segunda parte… Digna de um campeão!

Obviamente, não diremos que a equipa terá estrutura para tal… Que conseguirá quebrar o domínio habitual dos clubes de sempre, mas ninguém pensaria que, no final de Outubro, a equipa recém-promovida fosse ao Estádio do Dragão na liderança do campeonato!
Fonte: Carlos Silva/Bola na Rede

Viajemos para Espanha, para falar do espantoso Granada, actualmente quarto classificado da Liga Espanhola, depois de também ter sido promovido na pretérita temporada.

A equipa andaluz já cometeu alguns feitos dignos de realce para ocupar esta posição. Desde logo, a sequência de cinco desafios sem conhecer o sabor da derrota, que é algo improvável para um emblema com ambições de se manter, apenas, no escalão principal. Porém, dentro deste conjunto de desafios, teve destaque um muito especial: a vitória caseira frente ao FC Barcelona, por duas bolas a zero, numa noite memorável para o clube.

Fonte: Granada CF

O facto de ter a equipa mais barata do país vizinho, avaliado pelo portal Transfermarkt em 33,50 milhões de euros, torna o percurso da equipa dos portugueses Rui Silva e Domingos Duarte mais meritório.  Refira-se que os estratosféricos Real Madrid CF e Barcelona passam os mil milhões de euros… Num claro sinal de que, como diria Johann Cruyff, “nunca viu um saco de notas marcar golos.”

Prossigamos para França… para Nantes.

A equipa orientada pelo velho andarilho, Christian Gourcuff, após nove jogos, ocupa um excelente segundo posto só atrás do habitual Paris Saint-Germain FC.

Contudo, na Gália, na presente temporada vive-se um fenómeno curioso. Os Canaris ocupam o segundo posto, mas o terceiro é pertence a outra surpresa chamada Angers SCO.

Quanto a outros nomes mais brasonados, poderemos dizer que o Olympique de Marselha de Villas-Boas está no nono posto. O Olympique Lyonnais despediu, recentemente, o seu treinador Sylvinho, no décimo quarto lugar e o AS Mónaco de Leonardo Jardim pena no décimo sexto… Um verdadeiro mundo ao contrário.

Fonte: FC Nantes

Quantos ao Nantes, apenas seis equipas possuem um valor inferior ao do clube. Assim, o clube tem um plantel avaliado em pouco mais de 76 milhões de euros, enquanto o Paris Saint-Germain ultrapassa os mil milhões de euros, sendo seguido pelo Lyon com pouco mais de 367 milhões. Porém, isso não obsta que a equipa se encontre a dois pontos do Paris Saint-Germain e venha numa sequência de três vitórias, com destaque para o êxito obtido em Lyon, que ajudou a que Sylvinho fizesse as malas.

Rumemos para a Velha Albion para falar de um emblema que, como dissemos no início do presente artigo, já fez o mundo abrir a boca de espanto: o Leicester.

Os Foxes, actualmente orientado por Brendan Rodgers, após oito contendas disputadas estão no quarto posto da Premier League, só atrás do duo irresistível Liverpool FC e Manchester City FC e do Arsenal FC. Para além disso, a equipa foi, apenas, derrotada por duas vezes e sempre pela margem mínima: pela desilusão chamada Manchester United FC (num jogo que terá valido para que Solskjaer ainda se mantenha no banco de Old Trafford) e, antes da paragem das selecções, em Anfield frente ao Liverpool, por causa de um desentendimento entre Kasper Schmeichel e Marc Albrighton.

Fonte: Leicester City FC

A equipa apresenta a oitava equipa mais cara do campeonato, avaliada em 410 milhões de euros, mas muito longe dos 1280 milhões do Manchester City ou dos 1070 milhões do Liverpool. No entando, isso não é impedimento para uma equipa que, desde que Rodgers pegou nela, é a quarta com mais pontos no campeonato, só batida (isso mesmo!) pelo duo que luta pelo título e pelo Chelsea FC de Frank Lampard.

Por fim, o Borussia Monchengladbach, na Alemanha. O histórico emblema germânico, que já não vence a Bundesliga desde 1976/77, graças à goleada do passado fim de semana frente ao FC Augsburg, por cinco a um, e beneficiando de uma conjunta de resultados positivos assumiu a liderança da tabela.

Apesar da fase precoce da prova, o entusiasmo tomou conta do conjunto orientado por Marco Rose. Na verdade, são quatro vitórias consecutivas de um futebol sedutor, sem nunca prescindir da filosofia de vender os jogadores mais atractivos ao mercado e procurar outros capazes de serem rentabilizados.
Por essa razão, no início da temporada partiram Thorgan Hazard para o BVB Dortmund e Mickael Cuisance para o FC Bayern, para chegarem jovens talentos como o francês, filho de Lilian Thuram, Marcus, ou o suíço Breel Embolo.

Fonte: Borussia VfL 1900 Mönchengladbach

A quinta equipa mais cara do campeonato, avaliada em 270 milhões de euros, ousa sonhar… E lutar por títulos, ainda que na Liga Europa tenha sofrido um peculiar e doloroso revés. Na verdade, a goleada caseira frente aos austríacos do Wolfsberger, merecerá figurar na lista dos resultados mais surpreendentes da temporada 19/20.

Porém, ainda estamos no início dos respectivos campeonatos… A lei do mais forte costuma aplicar a sua força e os seus ditames.

Mas, em qual destes emblemas, o leitor apostaria o seu dinheiro para sensação do ano?

 

Artigo de opinião de Miguel Batista

Foto de Capa: Carlos Silva/Bola na Rede

Artigo revisto por Joana Mendes

Comentários