Roberto Firmino pode passar despercebido aos mais desatentos, mas para quem segue futebol com atenção este é um nome a reter e a seguir. O virtuoso brasileiro é, com vinte e dois anos, uma das figuras emergentes do campeonato alemão e o craque de serviço no Hoffenheim.

Desde 2010/11 por terras alemãs, o jovem jogador vem firmando créditos e tem confirmado todo o potencial que lhe era atribuído.
Na sua época de estreia, Carlos Eduardo, entretanto desaparecido na Rússia, despontava com a camisola dez e tapava todos os caminhos a um franzino craque vindo do Figueirense. Nesse meio-campo também já sobressaía um jovem austríaco que mais tarde se viria a afirmar como um dos melhores, se não o melhor, lateral-esquerdo da actualidade, David Alaba, na altura emprestado pelo Bayern de Munique.

Apesar de marcar alguns tentos e de se destacar a espaços, um dos motivos que vinham adiando a confirmação de todo o seu talento era o seu posicionamento em campo. Os treinadores insistiam em colocá-lo numa das linhas ou a jogar num sistema de três médios em que as preocupações mais defensivas não o deixavam soltar as amarras e desbravar caminho com fintas estonteantes e entradas fulminantes na área contrária.

firmino
Firmino a estreou-se a marcar esta época com um golo de bandeira
Fonte: bundesliga.de

A deslocação em definitivo para as costas do avançado veio confirmar tudo o que prometia e a época que passou foi, sem sombra de dúvida, brilhante. Marcou dezasseis golos e fez doze assistências no campeonato. Mas não é só de estatísticas que se faz um jogador e com a maior maturidade adquirida conseguiu finalmente exponenciar todas as ferramentas que fazem dele um dos maiores valores que passeiam pela Alemanha.
Capacidade goleadora, último passe e técnica assombrosa são só alguns dos seus principais atributos. O único senão é a agressividade excessiva, que o leva a acabar demasiadas vezes com o amarelo na ficha de jogo.

A selecção brasileira, neste momento, parece um local utópico, por onde, apesar da juventude, já merecia ter uma passagem. Firmino foi figura numa das mais competitivas ligas e conseguiu o feito de ser o melhor marcador brasileiro na Europa, ultrapassando Neymar e outros craques.
Com a renovação em curso na canarinha pode ser que surja uma oportunidade, mas para já Dunga deixou-o de fora das primeiras convocatórias pós-Mundial. Talvez as oportunidades apareçam com uma mudança para um emblema de maior prestígio…

Anúncio Publicitário

O maior mistério continua a ser a manutenção do dez num clube de média dimensão e cliente habitual do meio da tabela, isto depois de um defeso onde foi associado a vários tubarões como o Inter ou o Arsenal. O próprio jogador assumiu que queria continuar no clube para não queimar etapas e renovou até 2017, mas a sua capacidade actual já exige voos mais altos. O início de época é prometedor e esta poderá bem ser a última época na pequena vila alemã.

Comentários