bundesliga

Ambiente infernal no derby do Rühr entre Schalke e Dortmund, com a vitória a sorrir aos homens da casa. O resultado de 2-1 não espelha o que se passou em campo, pois o conjunto de Klopp merecia, no mínimo, um empate, mas premeia a eficácia dos comandados de Keller e, acima de tudo, comprova que o emblema de Gelsenkirchen – que já tinha roubado pontos ao Bayern – é uma equipa talhada para os grandes jogos (o que se explica pela dificuldade em assumir o jogo contra adversários que jogam com o bloco mais recuado).

Com a vitória do Bayern em Colónia, o Dortmund está cada vez mais atrasado na luta pelo título. Os Schwarzgelben, que continuam sem poder contar com Reus e Mkhitaryan, entraram com uma atitude demasiado passiva e viram o Schalke adiantar-se no marcador na sequência de um canto – Aogo cruzou para o golo de Matip. Os forasteiros tentaram reagir, mas sem grande convicção. Em mais um lance de bola parada, uma jogada de insistência deu o 2-0 ao conjunto da casa: Choupo-Moting aproveitou um mau alívio de Ramos para fazer o golo, já depois de Weidenfeller ter feito uma grande defesa. Logo de seguida, o colombiano redimiu-se e assistiu Aubameyang, que recolocou o Dortmund no jogo. Até ao intervalo, o encontro foi dividido, embora sem grandes lances de perigo junto das balizas.

Na segunda parte, o Dortmund assumiu o controlo do jogo e partiu em busca do empate. Aubameyang, o elemento mais em foco no conjunto de Klopp, esteve muito activo no flanco esquerdo, mas, apesar de terem criado várias boas oportunidades (nenhuma delas flagrante), os scwarzgelben não mostraram pontaria afinada perante um Schalke exclusivamente preocupado em manter a vantagem. O lance mais perigoso da segunda parte acabou mesmo por pertencer à equipa de Jens Keller: já em tempo de compensação, Huntelaar, sempre inteligente nas movimentações, rematou para uma excelente defesa de Weidenfeller.

Sam e Bender são os protagonistas de uma imagem que ilustra bem a batalha do Rühr  Fonte: Getty Images / kicker.de
Sam e Bender – a luta pelo derby do Rühr
Fonte: Getty Images / kicker.de

Os 3 pontos ficaram em casa, e este triunfo confirma a recuperação do emblema de Gelsenkirchen, que alcançou a segunda vitória consecutiva. Para o Dortmund, que tem sofrido bastante com o facto de nunca ter o plantel na máxima força, é mais um desaire que dá força à ideia de que será impossível lutar pelo título com o Bayern.

Anúncio Publicitário

 

A Figura

Dennis Aogo – Num encontro sem grandes destaques individuais, acabou por ser o lateral-esquerdo do Schalke o jogador mais decisivo em campo. Para além da profundidade que deu ao corredor, sobretudo na primeira parte, foi a sua qualidade de cruzamento que originou os dois golos da equipa da casa.

O Fora-de-Jogo

Ginter e Bender – Uma dupla que não funcionou e que, a menos que não haja alternativa, Klopp não deverá repetir. Os médios do Dortmund não tiveram capacidade de assumir a saída de bola em zonas recuadas (o que obrigou os centrais a jogarem directo com os avançados) e falharam igualmente na ligação com o sector ofensivo.