cab bundesliga liga alema

Quando um ciclo termina, outro inicia-se. A saída de Jurgen Klopp do comando técnico do Borussia Dortmund deu-nos, então, a conhecer o final de uma era na Vestfália, que teve a duração de sete anos repletos de êxitos, mas que também teve momentos menos positivos, como a desilusão que foi a temporada transata. A sua sucessão está a cargo de Thomas Tuchel – técnico alemão que teve percurso similar ao de Kloppo antes de chegar aos Die Borussen -, que começou a época a todo o gás e está a realizar uma primeira metade de época a um nível assinalável.

Embora não exista grande probabilidade de que consiga contrastar já esta temporada com o domínio do Bayern Munique, o Dortmund encontra-se apenas a cinco pontos dos comandados de Pep Guardiola e é de salientar que estão isolados no segundo posto da Bundesliga, com nove pontos de avanço sobre Monchengladbach e Hertha de Berlim, terceiro e quarto classificados. Nesta primeira volta, o conjunto de Tuchel já conseguiu triunfos importantes na caminhada para os seus objetivos no campeonato, ao vencer alguns dos principais adversários diretos aos lugares cimeiros da tabela, como o Wolfsburgo, o Schalke 04, o Leverkusen e o Monchengladbach. No que diz respeito às competições europeias, o Dortmund apurou-se para os dezasseis avos de final da Liga Europa, competição na qual os Die Borussen são uns dos principais favoritos à sua conquista, o que, embora não signifique um encaixe financeiro que atraia clubes deste nível, pode constituir um valor simbólico e anímico para a equipa.

Em poucos meses desde que está ao comando do emblema da Vestfália, nota-se já o toque e contributo de Thomas Tuchel no sistema tático do Dortmund, referente a épocas passadas. O rigor tático do técnico alemão de 42 anos tem sido proveitoso para o Dortmund. A equipa não só continua forte na manobra contraofensiva (fruto das características e da velocidade dos homens da frente de ataque) como tem um maior domínio durante os jogos sobre a posse de bola, que é trocada entre os jogadores de forma mais fluida, o que permite pautar o ritmo e ter um maior controlo nas partidas. É de referir, também, a pressão alta executada pela equipa aquando da perda de bola, que resulta muitas vezes na rápida recuperação do esférico.

Os índices ofensivos dos Die Borussen têm sido o maior destaque até agora e os números são bem evidentes nessa questão, pois são já 42 os golos marcados pela equipa em apenas 15 encontros no campeonato, fator bem demonstrativo do tipo de futebol implementado por Tuchel na sua nova casa. O sistema tático utilizado tem feito sobressair o melhor de Aubameyang, avançado gabonês que se tem apresentado a alto nível durante a temporada e é o melhor marcador do campeonato com 17 golos, à frente de nomes como Robert Lewandowski ou Thomas Muller. Importante para a o sucesso da equipa tem sido, também, o contributo de Marco Reus, Mkhitaryan e Ilkay Gundogan, que estão a apresentar-se a um nível bastante superior ao da época passada.

Tuchel tem vindo a apresentar resultados bastante positivos na sua primeira época em Dortmund Fonte: BVB Dortmund
Tuchel tem vindo a apresentar resultados bastante positivos na sua primeira época em Dortmund
Fonte: BVB Dortmund
Anúncio Publicitário

O consentimento de Tuchel para a contratação de Julian Weigl foi uma decisão que veio a mostrar-se fulcral, pois o jovem médio alemão assumiu desde cedo a titularidade no onze inicial e tem sido preponderante no meio campo da equipa, ao assinar exibições bastante positivas nos compromissos já realizados, revelando ainda uma maturidade tática acima da média para a pouca experiência que tem. A utilização de Matthias Ginter, defesa central de origem, na lateral direita também tem dado resultados positivos.

Não obstante, há ainda domínios a melhorar, para que o Dortmund possa voltar a ser, de facto, uma ameaça séria e constante para o poderio do Bayern, principalmente no que concerne a erros no capítulo defensivo. O conjunto de Tuchel tem cometido falhas defensivas graves, que não podem ser perdoadas, e tem consentido vários golos; a título de exemplo, o Dortmund tem 20 golos sofridos em 15 jogos na Bundesliga, números acima do que seria regular para uma equipa do topo cimeiro da tabela classificativa e com os objetivos que este Dortmund tem. A goleada sofrida diante do Bayern por 5-1, ainda no início de outubro, a contar para o campeonato, demonstra bem esta situação. Este é, de facto, o principal defeito a apontar ao trabalho de Thomas Tuchel até então e é um sinal de que o técnico tem que trabalhar e aprimorar a manobra defensiva do seu conjunto, principalmente porque tem defesas de estofo mundial, como Mats Hummels ou Soktratis Papastathopoulos.

No entanto, depois de uma época menos bem conseguida, o Dortmund está de regresso à ribalta do futebol alemão, pelas mãos de Thomas Tuchel, retornando, assim, a alegria ao Signal Iduna Park – e que bem a merecem os adeptos deste histórico alemão, que são incansáveis no apoio à equipa e funcionam autenticamente como o 12.º jogador, seja em jogos caseiros ou fora de portas. São inúmeras as vezes em que os próprios jogadores do Dortmund se rendem aos adeptos e ao apoio que estes lhes dão.

Foto de Capa: BVB Dortmund

Comentários