O futebol sempre nos reserva algumas boas surpresas. Nesta temporada, o futebol brasileiro foi agraciado com a coroação e confirmação do tradicional CSA (Centro Sportivo Alagoano) na elite do futebol nacional. Há apenas três anos o clube não se encontrava em nenhuma divisão nacional. O ostracismo imperava neste carismático clube de Maceió. Para piorar, os torcedores do Azulão do Mutange viam o seu grande rival, CRB, disputar as edições do Campeonato Brasileiro da Série B. Porém, a partir de 2016 tudo começou a mudar. A equipa começava a escrever a página mais bonita de sua história. Veja a cronologia do clube nos últimos anos:

 

2016 – Vice-campeão da Série D

2017 – Campeão da Série C

Anúncio Publicitário

2018 – Vice-campeão da Série B

2019 – Participante da Série A

 

O presidente do Azulão, Rafael Tenório, está no clube desde 2015 e admitiu que no início do seu mandato tirava dinheiro do próprio bolso para honrar os compromissos. Mas, atualmente, não faz mais essa prática e garante que o CSA é sustentável. No comando técnico da equipa, temos o jovem e promissor treinador Marcelo Cabo. Cabo já tinha realizado um feito incrível ao ser campeão da Série B com o Atlético-GO, em 2016. Mas no CSA o desafio era ainda maior, pois o clube tinha a ambição de ser promovido à Série A e assim voltar a disputar a maior competição nacional após 31 anos. Toda a formação do elenco foi aprovada pelo treinador.

Mosaico feito pela torcida do CSA com três personalidades brasileiras, adeptas do clube                      Fonte: CSA

Apesar da conquista da Série C na temporada passada, a atual temporada foi a que teve maior destaque. Jamais um clube do futebol nacional conseguiu ascender em tão pouco tempo do ostracismo total (nove meses sem disputar uma partida) à elite nacional. A campanha na Série B virou os holofotes para o CSA. Alguns jogadores importantes ganharam visibilidade e foram negociados ainda no decorrer da competição, como no caso do médio Edinho que foi para o Ceará. Outros atletas aguardam propostas. Manter a base desta temporada e reforçar pontualmente o plantel será o grande desafio da direção. A torcida do Azulão também teve destaque na campanha de subida. O CSA teve a segunda maior média de público e a segunda maior receita da Série B, ficando atrás apenas do campeão Fortaleza.

O ano de 2019 será para a metade azul de Maceió como viver um sonho. O orçamento da equipa será bem inferior a vários outros concorrentes que disputarão o Brasileirão. Mas com critério nas contratações a equipa pode conseguir a manutenção e se estruturar melhor para que em 2020 alcance novos voos. Histórias como a do CSA encantam todos amantes do futebol. Impossível não desejar o sucesso de uma equipa que saiu do limbo para alcançar o paraíso. Agora é esperar para vermos até onde o Azulão da Mutange poderá chegar no Campeonato Brasileiro.

Foto de capa: CSA

Revisto por: Jorge Neves