O Vasco da Gama entra em mais uma temporada com a desconfiança toda voltada para São Januário. Apesar do plantel ter sofrido duas baixas consideráveis no final da época passada- o guarda-redes Martín Silva transferiu-se para o Libertad-PAR e o médio defensivo Desábato foi para o Cerezo Osaka, do Japão-, a base foi mantida. A comissão técnica comandada pelo treinador Alberto Valentim também permanece para a temporada de 2019.

Porém, contar com a base da temporada passada nem sempre é algo positivo. O Vasco lutou até ao último minuto da última jornada do Brasileirão para se livrar da despromoção à segunda divisão nacional. Apenas um ponto separou o clube carioca da descida. O clube sofreu demasiado na competição, e eram percetíveis várias fragilidades no elenco Cruzmaltino.

É óbvio que não podemos ignorar a situação financeira do clube, que não permite grandes investimentos. Nesse caso, a base ter sido mantida segue uma lógica, já que não se pode gastar em contratações, mas também confirma que o ano será difícil. Um dos maiores ídolos da história vascaína, o atacante Edmundo, comentou a temporada que se aproxima para o Vasco da Gama.

“- Não há um otimismo. O time é o mesmo e a grande contratação, nos últimos 30 jogos jogou 45 minutos, que é o Bruno César. Não tenho nada contra ele, mas não pegou bem ele tirar a camisa e botar a camisa (do Vasco), na apresentação, mostrando que está fora de forma. Acho que o futebol de hoje não é só nome. Se você olhar o Vasco, uma espinha dorsal, tem Castan, Maxi López, Bruno César, hoje. Eles brilharam década passada” – lamentou o ex-atacante, em entrevista ao canal Esporte Interativo.

O lateral/médio Yago Pikachu é um dos grandes nomes do elenco vascaíno em 2019
Fonte: Vasco da Gama

A declaração do ex-atacante demonstra um certo ar de preocupação, e, pelos motivos já citados, não é para menos. A situação agrava-se ainda mais se considerarmos todo o cenário político que atrapalha a evolução do clube. Para se ter uma ideia, o atual presidente foi nomeado após uma conturbada eleição, em que até uma urna foi anulada pela justiça, a famosa “urna sete”. O atual presidente, Alexandre Campello, nem sequer era candidato, no princípio. No início da campanha presidencial, Campello apoiava o candidato Júlio Brant, mas depois saiu da chapa “Sempre Vasco Livre” e recebeu o apoio de Eurico Miranda, que era rival de Brant nas urnas. Creio que nem os maiores guionistas de cinema conseguiriam ter tanta criatividade.

Apesar do cenário negativo, o Vasco é um dos gigantes do futebol nacional e possui uma das maiores massas adeptas do país. Adeptos que sofrem com a situação do clube que amam e que tentam agarrar-se à esperança de ter, pelo menos, uma temporada tranquila, sem sustos. Pouco para um clube com a história do Vasco da Gama, mas talvez seja o possível, no momento.

Equipa base do Vasco para 2019:

Fernando Miguel; Cáceres, Werley, Castán, Danilo Barcelos; Andrey, Maranhão, Pikachu, Galhardo, Bruno César; Máxi Lopez.

 

Foto de capa: Vasco da Gama

Comentários