brasileirao

Decorridas agora seis jornadas no Brasileirão de 2015, podemos afirmar que este início de temporada teve algumas surpresas – positivas e negativas -, se bem que a máxima “isto não é como começa, mas como acaba” nunca tenha feito mais sentido do que no futebol de Terras de Vera Cruz. Vejamos, então.

Bom, primeiro, como é óbvio, temos de falar do despedimento do técnico bicampeão pelo Cruzeiro: Marcelo de Oliveira já não faz parte dos quadros celestes. Para o seu lugar chega a incógnita que tem sido nos últimos anos a pessoa de Vanderlei Luxemburgo. Os belo-horizontinos já não contam com alguém que tanto lhes deu a ganhar. Magoado, talvez pelo desinvestimento feito na Raposa, Oliveira também forçou a saída. Resta saber se Marcelo de Oliveira entrará num “ano sabático”, aproveitando para descansar, ou se vai pegar de “raiva” outro clube. O treinador já nem orientou o Cruzeiro no jogo em que os mineiros venceram o Flamengo por 1-0, numa partida de aflitos. Os cariocas estão em péssimos lençóis. Nunca desceram de divisão e talvez também nunca esse fantasma tenha estado tão perto. A equipa precisa de reforços de forma urgente, para ontem. Pouco imaginativa, sem ideias… uma nação que poderá desmoronar-se. Ainda falta muito jogo, é verdade, só que a distância começa a ser imensa, numa Liga em que se perdem muitos pontos, dado o elevado grau de competitividade.

Quem despediu também o seu treinador foi o Joinville. O lanterna-vermelha da competição já não conta com o trabalho de Emerson Maria e aumentou o leque de chicotadas psicológicas após a quinta jornada.

Em 2015, o Flamengo vai de mal a pior: quatro derrotas em cinco jogos
Em 2015, o Flamengo vai de mal a pior: quatro derrotas em cinco jogos
Fonte: futebolinterior.com.br

Mas se atrás há aflitos inesperados, na frente da corrida também há carruagens surpreendentes: o caso do atual primeiro classificado – o Atlético Paranaense. Apesar de não ser um tradicional do futebol brasileiro, a equipa do sul do país já foi campeã por uma vez. O que sempre é bom. Depois de ter feito um campeonato interessante na época passada, o Furacão está agora apto a demonstrar que isso não foi exceção. Na vice-liderança está a equipa da Ponte-Preta. Os alvi-negros de São Paulo tiveram uma demonstração de força no Estádio de São Januário (casa do Vasco da Gama) e venceram o atual campeão carioca por 0-3. Atenção a esta equipa: joga muito bem e tem um poder de fogo ofensivo notável.

Anúncio Publicitário

O simpático Sport Recife aparece na terceira posição; e a fechar o G4 – zona que dá acesso à Copa dos Libertadores da América do ano vindouro – está o Atlético Mineiro, que agora, sem as distrações da Libertadores (eliminado pelo Internacional de Porto Alegre, nos oitavos-de-final), aparece aqui como um sério candidato ao título de 2015, uma conquista que lhe foge desde 1971 (aliás, a única no Brasileirão para os atleticanos, até hoje). Mas se falava no poder atacante da Ponte Preta, o Galo não fica atrás: 14 tentos apenas nos primeiros seis jogos. É o melhor ataque da prova. Veremos se o Atlético está para ficar.

Enfim, será mais um grande Brasileirão, onde certamente haverá altos e baixos – isto é, quedas e subidas repentinas na classificação e, como sempre, um resultado imprevisível!

Comentários