Cabeçalho Liga Brasileira

O treinador Vanderlei Luxemburgo, 65, está de volta ao futebol brasileiro. Na última segunda-feira, 29.05, o treinador foi anunciado como o novo comandante do Sport. É uma surpresa o anúncio de Vanderlei Luxemburgo por uma grande equipe do futebol brasileiro. A última equipe que o treinador comandou no Brasil foi o Cruzeiro em 2015. Ano passado esteve à frente do Tianjin Quanjian – da 2ª divisão chinesa – porém os resultados não vieram e o treinador foi demitido em pouco tempo.

Essa será a primeira experiência de Luxemburgo no nordeste. Luxa se mostrou animado. “É uma grande oportunidade. Minha primeira vez no Nordeste, um grande momento profissional. Vou levar o meu conhecimento a um grande clube”, afirmou.

Luxemburgo fez história no futebol brasileiro nos anos 90. Posso até arriscar em dizer que o seu sucesso seguiu até meados dos anos 2000, quando treinou o Real Madrid. Luxemburgo herdou o posto de treinador número um do Brasil do mestre Telê Santana. Na época o treinador implementou uma nova filosofia no futebol brasileiro e teve grandes trabalhos. O Palmeiras de 1994, o Corinthians de 1998 e o Cruzeiro de 2003, foram os seus trabalhos com mais destaques. Luxemburgo também treinou a Seleção Brasileira. Luxa assumiu o cargo após a Copa do Mundo de 1998. Entretanto, o seu trabalho à frente da seleção não foi dos melhores e após apenas dois anos ele foi demitido do cargo.

Mas o tempo passou. Como também passou o auge do treinador. Atualmente, o Luxemburgo não desperta tanto interesse dos grandes clubes brasileiros. Isso é devido aos seguidos fracassos que obteve em sua carreira. Seu último título foi o Campeonato Carioca de 2011, pelo Flamengo. Muito pouco para um treinador com o seu currículo. Em 2010 Luxa deixou o Galo e foi demitido quando o time estava prestes a ser rebaixado. Dorival Júnior assumiu o comando da equipe e salvou o Atlético do rebaixamento. Depois passou por Flamengo, Grêmio, Fluminense e Cruzeiro. Todas essas passagens foram decepcionantes.

Anúncio Publicitário

O grande problema do atual Luxemburgo é por que ele não “abaixa a bola”.  O treinador ainda prega os conceitos de futebol que fizeram sucesso no século passado, mas que após 20 anos já não fazem mais efeito. No Brasil, até fazem uma piada a respeito do “Pojeto” do professor. Todo clube que ele assume – foi assim até no time chinês – o discurso é sempre o mesmo, mas não vemos funcionar na prática. O agravante disso é que ele treinou grandes equipes do futebol brasileiro, se fossem equipes pequenas sem muito orçamento ou infraestrutura poderia até se justificar.

Vanderlei Luxemburgo tentará calar a boca dos críticos que duvidam da eficiência do seu projeto Fonte: esportes.r7.com
Vanderlei Luxemburgo tentará calar a boca dos críticos que duvidam da eficiência do seu projeto
Fonte: esportes.r7.com

Agora Luxemburgo está de volta a uma grande equipe. O Sport cresceu muito nos últimos anos, tanto na questão de infraestrutura do clube como no poder de compra de mercado. Atualmente, o Sport consegue vencer uma disputa de contratação contra um clube grande do eixo sul-sudeste. Algo inimaginável há alguns anos. Se o seu projeto de Vanderlei Luxemburgo vingará no Leão da Ilha do Retiro só o Campeonato Brasileiro irá nos dizer.

Também não posso deixar de citar a atuação da direção do Sport em contratar o Vanderlei Luxemburgo. O Leão começou a temporada com o treinador Daniel Paulista, depois assumiu o Ney Franco e agora está com Luxemburgo. São treinadores como filosofias de trabalho bem diferentes. Isso demonstra que a direção do clube não sabe como deseja que o Sport jogue. Ora se eu quero que o meu time jogue em uma linha de futebol, vou contratar treinadores que possuem esse pensamento. Além do mais uma mudança radical de filosofia em pouco tempo atrapalha muito o desenvolvimento dos jogadores. Esse mal da direção Rubro-Negra é muito comum nos clubes brasileiros.

Foto de Capa: Danilo Sardinha/GloboEsporte.com

Comentários

Artigo anteriorBielsa e o novo projeto do Lille
Próximo artigoOs Açores: paisagens, atlântico e… futebol
Enquanto criança queria ser jogador de futebol e para o bem dos torcedores do Atlético Mineiro não foi aprovado no teste. Encontrou nas palavras a melhor maneira de se expressar sobre a sua paixão, o futebol. Amante do futebol brasileiro e do futebol alternativo, acorda facilmente às três horas da madrugada para ver um jogo do campeonato neozelandês.                                                                                                                                                 O César escreve ao abrigo do novo Acordo Ortográfico e todos os artigos são redigidos em português do Brasil.