A CRÓNICA: PRIMEIRA PARTE DEMOLIDORA DECIDE ELIMINATÓRIA

Na primeira mão, ainda antes da paragem das competições devido à pandemia, a partida acabou com o empate a uma bola no marcador no San Paolo. Neste segundo jogo referente aos oitavos de final da Liga dos Campeões, o Barcelona FC derrotou o SSC Napoli por três bolas a uma. Os catalães asseguraram um lugar na final eight em Lisboa.

A primeira parte foi um excelente espetáculo de futebol, resumindo-se numa avalanche ofensiva, principalmente por parte da equipa da casa. Existiram ocasiões para ambos os lados, mas as rápidas transições ofensivas aliadas à eficácia do Barcelona em frente à baliza acabaram por levar a melhor. Cada equipa demostrou ter máximo empenho e acerto nas táticas, algo equivalente acódigo bónus bet365 bigbet que apresenta um dos maiores leques de benefícios do mercado. 

Logo no segundo minuto de jogo, depois de um conjunto de ressaltos, a bola sobrou para Mertens, que atirou ao poste esquerdo da baliza, sendo esta a melhor ocasião para os visitantes em todo o encontro.

Anúncio Publicitário

À passagem do minuto 10’, Clément Lenglet inaugurou o marcador, colocando a bola no fundo das redes de cabeça, após um canto batido por Rakitic. Ao minuto 23’, Lionel Messi fez o 2-0, numa jogada de insistência, rematando em direção ao poste mais distante, com a bola a descrever um arco perfeito. No fecho da primeira parte, Messi antecipou-se a Koulibaly e foi derrubado pelo defesa do Napoli. Na conversão da grande penalidade, Suaréz não desperdiçou e fechou praticamente a eliminatória. Pouco tempo depois, foi assinalado um penálti a favor do Napoli, o qual Insigne concretizou.

No segundo tempo, o Napoli entrou de forma ameaçadora, mas o golo não apareceu, apesar de criar boas oportunidades de o concretizar. O Barcelona baixou o ritmo e limitou-se a gerir o resultado, recuando as linhas no processo defensivo. Os segundos 45’ minutos foram menos intensos do que os primeiros, com uma equipa claramente a tentar recuperar a eliminatória, enquanto os seus adversários aguentavam o resultado.

Desta forma, o Barcelona segue em frente na competição, tendo encontro marcado com o FC Bayern Munique no Estádio da Luz, no próximo dia 14, a contar para os quartos de final da prova.

A FIGURA


Lionel Messi- Mais uma exibição de grande nível por parte do jogador argentino, contribuindo no resultado como um golo marcado e uma grande penalidade conquistada. No primeiro tempo, foi crucial no ataque dos catalães, sendo a principal referência criativa da sua equipa, e, na segunda parte, destacou-se pelo trabalho de contenção e gestão de jogo.

 

O FORA DE JOGO


Setor defensivo do SSC Napoli- A partida ficou praticamente decidida na primeira parte, destacando-se a eficácia do ataque do Barcelona. A defesa do Napoli sentiu imensas dificuldades para combater as transições rápidas e sempre venenosas por parte do adversário. Nos primeiros 45’ minutos, o Barcelona introduziu a bola nas redes adversárias por quatro vezes, sendo que numa dessas ocasiões o golo foi invalidado.

 

ANÁLISE TÁTICA-FC BARCELONA

O Barcelona alinhou num esquema tático de 4-4-3, apresentando-se inicialmente bastante pressionante até inaugurar o marcador. Após o golo, baixou as linhas defensivas. O Barcelona apostou no ataque organizado, apanhando o Napoli em contrapé.

No meio campo blaugrana, Rakitic funcionava como elementos central e mais recuado, enquanto Sergi Roberto atuava como “box-to-box”, e Frenkie De Jong encarregava-se de organizar o jogo. No ataque, Messi e Griezmann ocupavam os corredores laterais, realizando frequentemente movimentos interiores para apoiar Suárez no corredor central.

 

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

Marc-André ter Stegen (7)

Nélson Semedo (7)

Gerard Piqué (6)

Clément Lenglet (7)

Jordi Alba (6)

Ivan Rakitic (6)

Sergi Roberto (7)

Frenkie de Jong (6)

Lionel Messi (8)

Luis Suárez (7)

Antoine Griezmann (5)

 

SUBS UTILIZADOS

Monchu (5)

Junior Firpo (-)

ANÁLISE TÁTICA SSC NAPOLI

A equipa de Gattuso alinhou num 4-3-3, com a frente de ataque habitual, confiando na sua dinâmica ofensiva e imprevisibilidade. O Napoli esteve com mais bola, colocando todos os jogadores no meio campo adversário, mas teve muita dificuldade em criar espaços.

O Napoli demonstrou ser uma equipa bem organizada taticamente, mas com alguma debilidade em ligar o setor do meio campo ao ataque, construindo o jogo de forma lenta e previsível.

 

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

David Ospina (6)

Giovanni Di Lorenzo (5)

Kostas Manolas (6)

Kalidou Koulibaly (5)

Mário Rui (6)

Diego Demme (5)

Fabián Ruiz (5)

Piotr Zielinski (4)

José Callejón (5)

Dries Mertens (6)

Lorenzo Insigne (7)

 

SUBS UTILIZADOS

Stanislav Lobotka (6)

Matteo Politano (5)

Hirving Lozano (5)

Elif Elmas (5)

Arkadiusz Milik (6)

Artigo revisto

Comentários