Cabeçalho Futebol Internacional

A Allianz Arena foi o palco da primeira mão dos oitavos final da liga dos campeões entre o Bayern e o Arsenal.  Com ambas as equipas na máxima força, Arsène Wenger optou por fazer uma troca na baliza londrina optando por Ospina ao invés de Cech. De qualquer das formas, a equipa favorita para este jogo era a equipa da casa, mas sempre atenta a eventuais contra-ataques do emblema inglês.

A partida começou bem para o Bayern, que logo nos dez minutos iniciais chegou ao 1-0 através de um remate colocado de Robben. O holandês executou o seu movimento habitual de conduzir a bola para zonas interiores do campo de onde disparou um míssil para dentro da baliza dos “Gunners”. Até à meia hora do encontro, o Arsenal teve muitas dificuldades em chegar perto da baliza da baliza contrária, e a única vez que chegou com perigo foi através de um livre à entrada de área de Ozil. O alemão bateu forte, e Neuer sentiu bastantes dificuldades para encaixar o esférico. No lance posterior deste, o árbitro marca uma grande penalidade a favor dos visitantes que Alexis Sanchez, na recarga, aproveita para igualar a partida.

Anúncio Publicitário

Perto do intervalo, assistíamos a um Bayern mais possante da bola e em busca de nova vantagem no marcador. No entanto, o Arsenal foi a equipa que causou o lance de maior perigo através de um remate à entrada de área de Xhaka. As equipas foram para o intervalo equilibradas em número de oportunidades de golo, mas foi o emblema alemão o dono do esférico durante todo o primeiro tempo.

Já no segundo tempo, assistimos a um total domínio bávaro. Dos 53’ aos 63’ foram dez minutos de terror para a equipa inglesa. O bayern marcou três golos, mas podia ter marcado mais. O 2-1 chegou através de um cabeceamento de Lewandoski, e logo a seguir Thiago Alcantara fez novo golo depois de um passe fantástico do atacante polaco. De cima do quarto de hora, Thiago bisa na partida através de um remate de fora de área e amplia o resultado para 4-1.

O Arsenal esteve durante toda a segunda parte desnorteado e sem conseguir jogar o seu futebol. Os lances de perigo para os “gunners” surgiram com bastante facilidade e só não sofriam mais golos porque Ospina impedia com bastantes dificuldades e esforço. Já nos cinco minutos finais Muller, que entrou para o lugar de Lewandoski, com bastante calma fechou o resultado em 5-1.

Com esta vitória, e a praticar o mesmo futebol que praticou hoje, o Bayern Munique seguirá sem dificuldades para os quartos-final da prova, e assume-se novamente como a equipa favorita para levantar o troféu na final.