A CRÓNICA: NOVA GERAÇÃO DE GALÁTICOS AGUENTA PRESSÃO E CONQUISTA VITÓRIA IMPORTANTE

A volta das 50 mil vozes no Giuseppe Meazza possibilitou a transmissão de um incentivo colossal para a equipa do FC Internazionale Milano. Do outro lado, a volta de Ancelotti, justamente no seu conhecido estádio, ao final do jogo, mostrou ser uma das melhores experiências.

A princípio, os mandantes utilizando do seu estilo de jogo, o Inter deixou com que nos primeiros minutos de jogo, o Real Madrid CF controlasse a bola. Enquanto isso, os donos da casa se preparavam contra-ataques reativos e de forma veloz.

Como resposta o Real aos 14 minutos, arrematou de longa distância com Casemiro. Mesmo assim, ainda os merengues não conseguiam utilizar de qualquer infiltração na defesa dos Nerazzuri.

Em seguida, aos 18 minutos de jogo, a bola perdida no ataque do Real Madrid fez com que o meio-campo da Inter partisse rapidamente para um contra-ataque. Brozovic passa para Lautaro que encontra Calhanoglu que cruza para área em direção ao próprio Lautaro que de cabeça obriga Courtois a realizar uma defesa segura.

Anúncio Publicitário

Ao passo em que o primeiro tempo se encerrava, o prognóstico da partida continuava o mesmo. A Inter, mesmo sem ter a maioridade da posse da bola, conseguiu criar diversas oportunidades de finalização. Enquanto o real fica coagido e sem demonstrar velocidade com os seus avançados completamente isolados no ataque.

De certa forma, os primeiros 45 minutos demonstraram um certo domínio dos mandantes, que graças ao guarda-redes belga do Real Madrid manteve a partida sem golos.

No início do segundo tempo, o Real entrou com maior ímpeto na partida. Mais disposto e ligado, o Real nos primeiros minutos tentou encurralar o seu adversário. Que soube defender as ameaças merengues.

A resposta da Inter veio num pontapé de canto onde Skirinar cabeceia perfeitamente em direção ao chão. No entanto, Courtois realiza outra incrível defesa impedindo o golo dos mandantes.

O Real Madrid na segunda etapa consegue levar mais perigo à baliza do que o seu adversário. Primeiro com a oportunidade aos 56 minutos, que numa bela troca de passes resultou no arremate de Carvajal para a defesa de Handanovic. Depois, Vinicius Jr. aproveitou a deficiência defensiva de Dumfries e sequenciou duas jogadas individuais com sucesso contra os defensores merengues. No entanto, as finalizações não deram resultado.

Conforme o jogo chegava ao seu final, ambas as equipas demonstraram o desgaste físico diminuindo o ímpeto e a quantidade de oportunidades de golos.

Mas a força de quem já conquistou 13 vezes a Champions aparece nos derradeiros momentos. Aos 89, Valverde joga a bola por cima para Camavinga, que pelo lado esquerdo, joga para o meio da grande área e Rodrygo arremata rapidamente de perna esquerda para o fundo das redes.

Desta forma, o Real suportou a pressão na primeira etapa dos mandantes e terminou com suas promessas consagrando a vitória fora dos seus terrenos contra o atual campeão italiano.

 

A FIGURA

Promessas Merengues – Após uma temporada em que o ataque era composto por Benzema, Ronaldo e Bale, o Real Madrid entendeu que o próximo passo era apostar em novos talentos. Com essa proposta chegaram Vini Jr., Rodrygo Camavinga. Mesmo com uma inicial dificuldade de adaptação, os jovens brasileiros deram indícios durante o jogo de que podem sim, manter o alto nível alcançado por outros avançados.
O FORA DE JOGO

Falta de pontaria O ataque e meio-campo da Inter direcionou diversas oportunidades à baliza adversária. No entanto, a imprecisão na hora mais importante da jogada, fez com que nenhum golo fosse marcado pela equipa nerazzuri. Como penalização, a equipa de Milão ainda pode sofrer no seu último respiro uma derrota dura na sua casa.

 

ANÁLISE TÁTICA – FC INTERNAZIONALE MILANO

O técnico Simone Inzaghi começou o jogo com o mesmo 3-5-2 que levou o clube de Milão a conquistar novamente o scudetto italiano. Porém, diferentemente de Conti, Inzaghi prefere utilizar a marcação com linhas mais defensivas e apostar na ligação direta e na força física do meio-campo. E assim foi bem trabalhada a equipa até que o ímpeto físico fosse cessado e o jogo vertical não foi bem suprido. As substituições foram todas para manter o estilo de jogo, focado na agressividade do esquema físico com a entrada de Arturo Vidal.

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

Handanovic (8)

Skriniar (6)

De Vrij (6)

Bastoni (6)

Darmian (4)

Barella (5)

Brozovic (6)

Calhanoglu (5)

Perisic (4)

Dzeko (6)

Lautaro (6)

SUBS UTILIZADOS

Di Marco (5)

Dumfries (4)

Vidal (6)

Correia (5)

Vecino (5)

 

ANÁLISE TÁTICA – REAL MADRID CF

O esquema escolhido de Ancelotti para sua volta aos merengues é a permanencia do 4-3-3, utilizado também por Zidane na época passada.  Tendo apenas Tony Kross, como a única grande ausência entre os 11.  Desta forma, a saída de bola com toque rápido e precisos além de uma grande movimentação do ataque. Utilizando o ponta de lança também como um organizador de jogadas para os extremas.

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

Courtois (8)

Carvajal (6)

Militão (6)

Alaba (6)

Nacho (4)

Casemiro (5)

Modric (6)

Valverde (6)

Lucas V. (5)

Vini Jr. (7)

Benzema (5)

SUBS UTILIZADOS

Rodrygo (8)

Camavinga (7)

Asensio (-)

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comente!
Por favor introduz o teu nome