Cabeçalho Futebol Internacional

Para quem esperava um jogo pacato em Turim (onde dificilmente se veriam golos) rapidamente entendeu que não era isso que iria decorrer. Nos primeiros 10 minutos do encontro a Juventus já ganhava por duas bolas a zero, com golos de Gonzalo Higuaín que bisou, deixando assim o Tottenham apertado logo desde o inicio. O primeiro golo foi fruto de um pormenor de classe ao primeiro toque e o segundo surgiu de um penalti muito bem marcado, deixando assim “La Vecchia Signora” no controlo de resultado. No entanto o Tottenham, que não estava conformado com o resultado, mostrou uma garra impressionante e esteve a primeira parte toda em cima da Juvé. Após vários ataques do Tottenham, todos sem sucesso, eis que aos 35 minutos o suspeito do costume (Harry Kane) acaba mesmo por marcar o golo, num duelo ganho contra Buffon.

Houve ainda tempo para um penalti desperdiçado no último segundo da primeira parte, após uma grande demonstração de velocidade por parte de Douglas Costa, onde o mesmo é travado por Aurier, numa falta completamente evitável. Higuaín não conseguiu repetir o que fez na semana passada frente ao Sassuolo, onde marcou 3 golos num jogo, falhando assim o penalti que deixaria a Juventus num cenário bem mais confortável.

A segunda parte do encontro começa com uma disputa bastante equilibrada do jogo, com um ritmo muito acelerado (deixando a sensação que não se manteria por muito mais tempo assim) e com lances muito bons para ambos os lados. Nestes jogos, com ritmos mais acelerados, tendem a existir mais faltas, e este jogo não foi exceção. Vimos um jogo muito faltoso em Itália e isso trouxe logicamente mudanças no jogo, mudanças essas que acabaram por beneficiar os “spurs” uma vez que, após mais um livre perigoso, Christian Eriksen faz o empate com um remate direto à baliza do experiente Buffon.

Ninguém se queria dar por vencido e o empate parecia não agradar a nenhuma das equipas, num jogo cada vez mais intenso com cada bola a ser disputada até à ultima, no entanto, o resultado final ia mesmo ser o empate a duas bolas. Este empate favorece ligeiramente o Tottenham, que vai ter a segunda mão em sua casa, bastando uma vitória ou um empate por não mais que uma bola para garantir o apuramento para a próxima fase da liga dos campeões.

Anúncio Publicitário

Neste momento não há favoritos. Temos um Tottenham cheio de garra que acabou em primeiro lugar no grupo de Borussia de Dortmund e Real Madrid, assim como tem ao seu dispor o fator Harry Kane, que tem sido muito produtivo na Champions League. Por outro lado temos a experiente Juventus, que está sempre nas últimas fases desta competição e que não vai dar-se como vencida assim com tanta leviandade. Resta esperar para saber o que nos traz a segunda mão.

 

Artigo revisto por: Vanda Madeira Pinto