A CRÓNICA: VARANE COMPROMETEU ESPERANÇAS MADRILENAS

Finalmente Champions! Para regalo de todos os amantes do ludopédio, regressou a maior competição de clubes à escala global. Ainda que sem adeptos nas bancadas, Manchester City FC e Real Madrid CF trouxeram-nos um grande espetáculo de futebol, que culminou com a passagem da formação inglesa aos quartos de final da prova.

Os citizens receberam os madrilenos em vantagem na eliminatória – depois da vitória no Bernabéu por 2-1 na 1.ª mão – e entraram com o pé direito na partida, aplicando uma grande pressão à primeira fase de construção dos campeões espanhóis, pressão essa que viria a surtir efeito à passagem do minuto nove, quando Varane perdeu clamorosamente a bola na sua grande área e permitiu o golo de Sterling. O Real foi conseguindo desenvencilhar-se aos poucos do sufoco inglês, e conseguiu o golo do empate perto da meia hora de jogo, por intermédio do suspeito do costume, Karim Bezema, após um bom envolvimento ofensivo.

O segundo tempo começou tal como o primeiro, com os pupilos de Guardiola a pressionar alto e a forçar o erro dos jogadores blancos. Por cima do encontro e sempre mais perto de marcar que a formação visitante, o Manchester City voltaria a faturar, com Varane novamente muito mal na fotografia e a oferecer o golo a Gabriel Jesus, ao minuto 68. Com esse tento, a formação da casa sentenciou por completo a eliminatória, com o Real Madrid a não ter argumentos para virar o marcador.

Com este triunfo, a equipa de Manchester carimbou o passaporte para os quartos de final da prova milionária, onde vai defrontar o surpreendente Olympique Lyonnais, que deixou a Juventus FC de Cristiano Ronaldo fora da competição.

Anúncio Publicitário

A FIGURA

Gabriel Jesus – Com a ausência de Agüero, a escolha de Pep Guardiola recaiu sobre o internacional brasileiro, que foi preponderante na partida ao apontar um dos golos dos citizens e arrancou uma exibição de encher o olho.

O FORA DE JOGO

Raphaël Varane O defesa-central francês fez um péssimo jogo, estando diretamente envolvido nos dois golos sofridos pelo Real Madrid CF, com erros completamente amadores. Dia para esquecer para o gaulês, que colocou os madrilenos fora da competição

ANÁLISE TÁTICA – MANCHESTER CITY FC

Com o internacional português João Cancelo no onze inicial e com Bernardo Silva no banco, Pep Guardiola surpreendeu ao colocar o jovem internacional inglês Phil Foden de início, atuando como falso nove, atrás de Gabriel Jesus e Raheem Sterling. Num dispositivo base de 4-3-3, os citizens apostaram forte na pressão, atrapalhando muitas vezes o processo de construção do Real Madrid CF, conseguindo também instalar-se durante quase toda a partida no meio campo adversário.

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

Ederson (6)

Walker (7)

Fernandinho (6)

Laporte (6)

Cancelo (7)

De Bruyne (8)

Rodri (6)

Gündogan (7)

Foden (6)

Gabriel Jesus (9)

Sterling (7)

SUBS UTILIZADOS

Bernardo Silva (6)

David Silva (-)

Otamendi (-)

 

ANÁLISE TÁTICA – REAL MADRID CF

Sem o capitão Sergio Ramos devido a castigo, a formação madrilena dispôs-se em campo num sistema base de 4-3-3, com o brasileiro Rodrygo a ser a maior novidade no onze inicial. Rapahël Varane foi o escolhido por Zidane para substituir Ramos, uma decisão que acabou por comprometer a partida, face à péssima exibição do defesa francês. Os blancos cederam à pressão exercida pelos citizens, que dominou praticamente todo o encontro.

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

Courtois (7)

Carvajal (6)

Militão (7)

Varane (5)

Mendy (6)

Kroos (7)

Casemiro (6)

Modrić (6)

Rodrygo (7)

Hazard (6)

Benzema (8)

SUBS UTILIZADOS

Asensio (6)

Valverde (-)

Vasquéz (-)

Jovic (-)

Artigo revisto por Joana Mendes

Comentários