A CRÓNICA – FRANCESES SORRIEM PERANTE ESFORÇO INGLÓRIO DOS INGLESES

O mítico estádio de Old Trafford, “Teatro dos Sonhos”, foi palco do confronto cabeça-de-cartaz de mais uma quarta-feira europeia. O Manchester United FC recebeu o Paris Saint-Germain FC com a certeza de que um empate ou uma vitória no encontro lhe daria a passagem à próxima fase. Já os parisienses, precisavam de vencer por, pelo menos, dois golos de diferença para poderem ganhar vantagem sobre os “Red Devils” no confronto direto.

O jogo começou bastante mexido, tal como se previa, e foi a equipa de Thomas Tuchel que tirou proveito disso. Logo aos seis minutos, Neymar apareceu sozinho perante David De Gea, depois de um primeiro remate de Mbappé ter sido desviado, e finalizou para abrir as contas do marcador.

Ao minuto 23, Fred poderia ter deixado o United em piores lençóis ainda, mas o encosto de cabeças com Paredes foi apenas penalizado com um cartão amarelo. Contudo, a partir deste momento e até ao intervalo, foi a equipa da casa que assumiu as rédeas da partida e colocou grande pressão no Paris Saint-Germain, tendo mesmo chegado ao empate. Depois de um remate inicial de Martial, foi a segunda tentativa, por intermédio de Rashford, que acabou por ser desviada pelo desafortunado Danilo, traindo Keylor Navas fazendo autogolo. Estava resposta a igualdade.

A abrir a segunda parte, Martial protagonizou a perdida da noite e Cavani, na sequência de um magnífico contra-ataque dos homens de Manchester, tentou o “chapéu” e enviou a bola à barra. O United estava mais perto de assumir a vantagem, mas o PSG pôs os ingleses em sentido com um cabeceamento de Marquinhos, que tocou ao de leve na trave.

Anúncio Publicitário

Depois do aviso, Marquinhos chegou mesmo ao golo. Na sequência de um canto de Neymar, a bola andou de um lado para o outro dentro da área dos “Red Devils” e acabou por chegar ao capitão dos parisienses, que desviou subtilmente de De Gea e pôs a sua equipa de novo em vantagem. Para além da desvantagem, o minuto 70 viu o Manchester United reduzido a dez homens, face à expulsão de Fred. Desta feita, o brasileiro não escapou ao cartão vermelho.

Nos 20 minutos finais, dada a superioridade numérica, o ascendente no jogo pendeu, naturalmente, para o lado dos comandados de Thomas Tuchel. Assim, o “ponto final” foi colocado por Neymar já em período de descontos, fazendo o 1-3 após uma assistência do compatriota Rafinha.

Com este resultado, os parisienses mantêm vivas as esperanças de se qualificarem em primeiro lugar para os oitavos de final. Na última jornada, o Manchester United FC vai deslocar-se ao terreno do RB Leipzig, enquanto o Paris Saint-Germain FC irá receber o Istanbul Basaksehir FK, fechando assim as contas do grupo H da Liga dos Campeões.

 

A FIGURA


Neymar Jr. – O craque brasileiro não fez uma exibição ao nível do que já vimos, mas ainda assim marcou dois golos e esteve na jogada de outro, o que mostra bem a importância do avançado na equipa do Paris Saint-Germain. Com a participação em momentos decisivos, ajudou os parisienses a manterem vivas as hipóteses de se qualificarem no primeiro lugar do grupo.

 

O FORA DE JOGO


Kylian Mbappé – O jovem “astro” francês não brilhou no “Teatro dos Sonhos” como estamos habituados que faça. Muito apagado e fora do jogo, não foi capaz de impor o seu brilho no jogo, que através da sua técnica ou velocidade. Falhou ainda uma oportunidade clamorosa de golo, o que representa bem a exibição do avançado esta noite.

 

ANÁLISE TÁTICA – MANCHESTER UNITED FC

A equipa de Ole Gunnar Solskjaer apareceu disposta no habitual 4-2-3-1, mas teve pela primeira vez Cavani como principal “arma” titular apontada à baliza adversária. Acompanhado por Martial e Rashford, e com Bruno Fernandes nas suas costas, o quarteto ofensivo que muitos consideram como o mais forte que os “Red Devils” podem apresentar teve uma noite positiva. Mais para trás, a linha defensiva teve o suporte dos médios McTominay e Fred, mas passaram por muitas dificuldades quando tentaram conter o velocíssimo ataque parisiense.

 

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

David De Gea (6)

Aaron Wan-Bissaka (6)

Victor Lindelof (6)

Harry Maguire (6)

Alex Telles (5)

Scott McTominay (6)

Fred (5)

Bruno Fernandes (6)

Marcus Rashford (6)

Anthony Martial (5)

Edinson Cavani (6)

SUBS UTILIZADOS

Paul Pogba (5)

Donny Van de Beek (5)

Mason Greenwood (5)

Odion Ighalo (-)

 

ANÁLISE TÁTICA – PARIS SAINT-GERMAIN FC

Se o grafismo da UEFA colocava os parisienses dispostos em 4-3-3, a verdade é que, sobretudo no momento de construção ofensiva, a equipa aparecia disposta em 3-4-3. O português Danilo Pereira juntava-se a Marquinhos e a Kimpembe no centro da defesa e projetavam-se Florenzi e Diallo nas laterais. No centro, os homens da “casa de máquinas” foram Verratti e Leandro Paredes, deixando o tridente ofensivo entregue aos habituais Mbappé e Neymar, com a companhia de Moise Kean.

 

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

Keylor Navas (6)

Alessandro Florenzi (6)

Marquinhos (6)

Presnel Kimpembe (6)

Abdou Diallo (6)

Danilo Pereira (6)

Marco Verratti (6)

Leandro Paredes (6)

Neymar Jr. (7)

Kylian Mbappé (5)

Moise Kean (5)

SUBS UTILIZADOS

Ander Herrera (5)

Mitchel Bakker (5)

Rafinha (6)

Thilo Kehrer (5)

Idrissa Gueye (-)

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comente!
Por favor introduz o teu nome