Quatro anos depois de ter sido campeão da Liga Adelante, o Deportivo Alavés está a cimentar a sua terceira temporada consecutiva no principal escalão do futebol espanhol com um impressionante quinto lugar, que faz a equipa ocupar um posto europeu, à frente de equipas como o Real Betis Balompié, Getafe CF, Girona FC, Levante UD ou Valencia CF.

A formação do País Basco foi ao Anoeta, reduto do vizinho Real Sociedad, vencer, na mais recente jornada, com um golo solitário de Jonathan Calleri e, se a Liga Espanhola terminasse hoje, os babazorros atingiriam a melhor classificação de sempre do clube, superando o sexto lugar da temporada 1999/2000.

Parece assim adivinhar-se uma época mais tranquila para os comandados de Abelardo Fernández, depois dos 47 pontos que deram o 14º posto na temporada transata. Nesta altura, com 28 pontos, a um do Real Madrid CF, que tem menos um jogo, o Alavés já tem mais de metade dos amealhados em 2017/18 e ainda faltam duas jornadas para terminar a primeira volta do campeonato. Está, por isso, ao alcance o nono lugar conquistado em 2016/17, logo após o regresso ao convívio entre os grandes.

Num plantel onde a grande maioria dos jogadores são espanhóis, o Alavés faz da organização defensiva a sua arma mais explícita. Na baliza, Fernando Pacheco, formado no Real Madrid, a atravessar a quarta temporada a defender as cores dos patateros, transmite segurança à sua defesa, composta por Victor Laguardia, Guillermo Maripán, Ximo Navarro e Rubén Duarte.

O treinador Abelardo Fernández cumpre a segunda temporada ao serviço dos ‘babazorros’
Fonte: Alavés

No miolo, Tomás Pina e Mubarak Wakaso dão solidez, ao passo que, da zona intermediária para a frente, Rubén Sobrino, Jony Rodriguez, Jonathan Calleri e Borja Bastón mostram ser um perigo em lances de contra-ataque e criam muitas dúvidas na defensiva contrária pela qualidade dos seus movimentos sem bola. Prova disso foi o golo da vitória frente ao Real Sociedad, onde Borja Bastón assistiu Calleri para golo numa jogada muito interessante.

O Alavés tem uma média de um golo sofrido por jogo e, até agora, marcou 19. Não marca muitos, mas também não sofre muitos. Mais, é uma equipa, na minha ótica, muito madura e que, por isso, reúne todos os pergaminhos para, se não atingir mesmo uma posição europeia, ficar na primeira metade da tabela, como aconteceu há duas temporadas.

Já eliminados da Taça do Rei, aos pés do Girona, os babazorros têm “apenas” o campeonato e a motivação não podia estar mais encimada, sendo que o próximo jogo traz já uma receção ao Valencia, equipa que está em recuperação pontual. Dia 5, o Estádio Mendizorroza vai estar bem composto para assistir a este empolgante duelo do País Basco. Abram alas para o sonho europeu do Alavés.

Foto de capa: La Liga

Artigo revisto por: Rita Asseiceiro

Comentários