Cabeçalho Liga Espanhola

Há três anos deambulava entre a equipa secundária e a formação principal do Benfica. Hoje, prestes a completar 23 anos e depois de fazer escala em Valência, André Gomes chega a uma equipa de topo do futebol mundial. Durante este defeso, muito se falou num possível ingresso no Real Madrid, mas, como que num ápice, acabou por assinar pelo seu eterno rival. Seria mesmo uma necessidade do Barça ou foi só mais uma alfinetada aos merengues, numa história que conta já com dezenas de anos?

35 milhões a pronto e mais 20 milhões por objetivos. É este o valor que os “Blaugrana” pagaram por um jogador que suscita opiniões contraditórias nos adeptos. Se uns veem nele um médio elegante, com passada larga, bom jogo aéreo e capaz de romper as defesas adversárias, a grande maioria olha para ele como um médio muito estático, que não consegue pressionar, que só faz uma posição no meio-campo e que chega a uma grande potência sem ter mostrado valor para tal.

Sente-se como peixe na água a jogar em 4-3-3, como médio mais avançado, e a verdade é que essa é a tática preferida e quase única de Luís Enrique. Mas a grande questão será perceber onde caberá André Gomes no meio campo do Barcelona. Com dois cativos como Iniesta e Busquets, os pilares do futebol que a equipa vem apresentando há anos, o 4-3-3 só deixa espaço para mais um médio.

Rakitic parte em vantagem, pois foi o escolhido por Luís Enrique durante grande parte da última época. Arda Turan é um jogador que há um ano custou 34 milhões de euros aos cofres “Blaugrana”. Aparecerá com toda a certeza melhor este ano, depois de na temporada transata só ter conseguido apanhar a carruagem a meio.

Anúncio Publicitário

Turan faz como muito poucos a pressão imediata a seguir à perda da bola, o que não me parece que o português consiga. Existe ainda Sergi Roberto, que dá continuidade aos talentos de La Masia e tem sido muito utilizado, até em grandes embates. Não esqueçamos Denis Suárez, que foi resgatado do Villareal, depois de já anteriormente ter feito uma época muito positiva no Sevilha vencedor da Liga Europa. Por fim, Rafinha Alcântara, um jogador que começou a época passada em grande, mas a quem uma grave lesão veio adiar o que parece inevitável: ser um trunfo importante do Barcelona.

Camp Nou está preparado para ceceber André Gomes. Veremos se o jogador estará à altura daquela grandeza Fonte: FC Barcelona
Camp Nou está preparado para ceceber André Gomes. Veremos se o jogador estará à altura daquela grandeza
Fonte: FC Barcelona

A outra grande questão passa por perceber que política de contratações é esta usada pelo clube culé. Gasta-se 50 milhões num jogador sem provas dadas quando há necessidades prementes no plantel?

Na lateral esquerda, só há uma solução – Alba. Mathieu, por curiosidade, também contratado ao Valência por valores muito elevados, já demonstrou por várias vezes que não se sente confortável quando ali é adaptado. O estilo de jogo “Blaugrana” precisa de laterais que deem profundidade, que recebam os passes de Iniesta nas costas da defesa. Sendo assim, com todas as competições em que estão envolvidos, torna-se escasso ter um só jogador para aquela posição.

Na frente de ataque, se a tripla MSN perde alguma das letras, por lesão ou por castigo prolongado (e aqui sabe-se que Suárez é expert), não há no plantel do Barcelona alguém que os possa substituir, mantendo a mesma performance. Não é fácil substituir qualquer uma destas três máquinas de jogar e fazer golos. Ainda assim, e citando somente dois, jogadores como Nolito ou Lukaku seriam boas apostas e bem mais baratas do que o médio.

Será caso para perguntar: Quem ganhará com este negócio? Jorge Mendes, muito provavelmente. O Barcelona, muito dificilmente.

Foto de Capa: FC Barcelona