Anterior1 de 3Próximo

A jornada de abertura do campeonato espanhol tinha no Estádio Balaídos, em Vigo, um dos encontros cabeça-de-cartaz, opondo o Celta local ao Real Madrid. Na equipa da casa, destaque para o regresso ao clube de Denis Suárez, por empréstimo do Barcelona, tendo sido aposta para o onze titular de Fran Escribá. Já na turma da capital espanhola, a grande surpresa da tarde foi para a inclusão de Gareth Bale na equipa titular, após toda a “novela” que se tem passado à sua volta. Também James Rodríguez foi incluído na ficha de jogo, sendo ele outro jogador com futuro ainda incerto no clube.

O jogo começou mexido, com ambas as formações a procurarem impor o seu futebol, mas o certo é que, nos primeiros dez minutos de jogo, nada de relevante houve a registar. No entanto, daí para a frente, a história do jogo mudou: logo ao minuto 12, Karim Benzema abriu o ativo ao corresponder a um cruzamento de Gareth Bale, que trabalhou o lance pela ala direita antes de servir o goleador francês.

O Real Madrid não queria abrandar e Bale continuava a mostrar serviço a Zinedine Zidane, sendo sempre através do jogador galês que surgiam as melhores oportunidades dos “madridistas”. Foi através dele que surgiu a outra grande chance da primeira parte, já após o minuto 40: invertendo os papéis do lance do golo, foi Benzema a servir Bale, mas desta vez Rubén Blanco conseguiu intervir e impediu que a vantagem dos “Blancos” fosse dilatada.

O golo do empate do Celta podia ter surgido em cima do intervalo: Odriozola facilitou e, perante a pressão de Denis Suárez, permitiu que este entregasse a bola “de bandeja” a Iago Aspas, que já dentro da área serviu Brais Méndez, que finalizou com sucesso. No entanto, o golo foi anulado por fora-de-jogo, tirado milimetricamente a Iago Aspas, no momento do toque de Denis Suárez.

Chegava o intervalo e o Celta até tinha vantagem na posse de bola, mas as oportunidades de perigo, ainda que escassas, pertenciam em grande maioria ao Real Madrid, inspirados por um surpreendentemente irrequieto Gareth Bale.

Fonte: Real Madrid C.F.

A segunda parte começou com uma boa jogada do Real Madrid, com Marcelo a protagonizar uma das suas famosas incursões ofensivas no flanco esquerdo e a servir Benzema, que rematou para fora. O Celta reagiu de imediato através de Iago Aspas que, isolado com Courtois, não conseguiu fazer o golo, tendo o guardião belga saído na perfeição aos pés do avançado espanhol.

Os galegos voltaram do intervalo com bastante mais energia e tiveram novo lance de perigo: foi de novo Iago Aspas quem recebeu a bola dentro da área, mas nesta ocasião tentou a assistência para Gabriel Fernández, tendo este rematado contra o corpo de Casemiro, que substitui o guarda-redes de forma legal e evitou o empate.

Se o bom momento do Celta no início da segunda parte não fosse razão suficiente para alarmar o Real Madrid, a expulsão de Luka Modric fez com certeza “soar campainhas” junto dos responsáveis “madridistas”. Faltava ainda pouco mais de meia hora de jogo e os “blancos” teriam que jogá-la em inferioridade numérica e perante um Celta super motivado.

A resposta dos “merengues” não podia ter sido melhor: a equipa instalou-se no seu meio-campo ofensivo e, apenas cinco minutos após a expulsão, Toni Kroos enviou uma “bomba” na direção da baliza de Rubén Blanco que nada conseguiu travar. A bola bateu na parte inferior da trave e ressaltou para dentro das redes galegas, tendo o médio alemão assinado um golo que será um dos melhores da época que agora começa.

O Celta tentava reagir e, como habitual, era o capitão Iago Aspas a tentar “carregar” a equipa, desta feita com um remate que passou junto ao poste esquerdo da baliza de Courtois. Quem parecia não falhar era o Real Madrid, que ampliou a vantagem para três golos através de Lucas Vázquez, fazendo golo no seguimento de uma extraordinária jogada dos “blancos” e que envolveu “toques mágicos” de Marcelo, Isco e Benzema, antes deste último assistir o extremo espanhol.

O jogo foi, a partir do terceiro golo “madridista”, perdendo ritmo e intensidade, passando o Real Madrid a controlar a bola. Ainda assim, o Celta conseguiu o seu “golo de honra”, já no período de compensação, através do jovem Losada, produto da formação galega, que fixou o resultado final em 1-3.

O Real Madrid entra a ganhar nos jogos oficiais e deixa uma imagem bastante mais positiva do que a que se viu na pré-temporada. Já o Celta, apresentou um bom nível na primeira parte, mas após a expulsão, quando deviam subir de rendimento na partida, deixaram que o oposto acontecesse, sendo dominados até fim do jogo. Seja como for, é início de época e ambos os conjuntos têm pontos a melhorar. 

ONZES INICIAIS E SUBSTITUIÇÕES:

Celta de Vigo – Rubén Blanco; Kevin Vázquez; David Costas; Araújo; Lucas Olaza; Lobotka (Pione Sisto, 75’); Beltrán (Pape Cheikh, 83’); Denis Suárez; Brais Méndez; Gabriel Fernández (Losada, 88’); Iago Aspas.

Real Madrid C. F. – Courtois; Odriozola; Sergio Ramos; Varane; Marcelo; Casemiro; Luka Modric; Kroos; Gareth Bale (Isco, 75’); Vinicius (Lucas Vázquez, 69’); Benzema (Luka Jovic, 81’).

Anterior1 de 3Próximo

Comentários