Anterior1 de 2Próximo

Chegou como um menino, sai como uma lenda. No passado dia 20 de maio, o futebol voltou a ser cruel, e fez-nos assistir ao adeus ao Wanda Metropolitano de uma das figuras mais acarinhadas da história do Atlético de Madrid: Fernando Torres.

El Niño, como ficou conhecido desde bem cedo, realizou 404 jogos com a camisola do Atleti, um número que retrata bem a marca que o espanhol deixou no seu clube de coração. Mas o caminho de Torres pelo futebol não passou só pela capital espanhola, pelo que nos resta lançar um olhar atento sobre o seu percurso.

No dia 27 de maio de 2001, um jovem chamado Fernando José Torres Sanz fazia a sua estreia na equipa principal do Atlético de Madrid, em pleno Vicente Calderón, com apenas 17 anos, dois meses e sete dias. Num jogo frente ao Leganés, a contar para a 39ª jornada da segunda divisão espanhola, o avançado nascido em Fuenlabrada substituiu Luque (autor do único golo da partida) ao minuto 64. Uma semana depois, Torres marcava o seu primeiro golo com a camisola dos colchoneros, frente ao Albacete.

De 2001 a 2007, efetuou 244 jogos e 91 golos ao serviço do Atlético. Com apenas 19 anos de idade envergou pela primeira vez a braçadeira de capitão. A melhor época de Torres a nível individual aconteceu em 2003-2004, quando marcou 21 golos em 40 jogos. Foi convocado pela primeira vez para a seleção espanhola para um amigável com Portugal, que ocorreu a 6 de setembro de 2003, em Guimarães. Mais tarde viria a fazer parte do lote de jogadores que esteve presente em território luso para o Euro 2004.

Em julho de 2007, o Liverpool anunciou a contratação de El Niño por 36 milhões de euros; nunca os reds tinham pago tanto por um jogador. Foi ao serviço da equipa inglesa que Fernando Torres se transformou num dos números “9” mais temíveis do mundo. Aliando velocidade, poder físico, drible e um posicionamento letal dentro da área, apontou 81 golos num total de 142 jogos pelo Liverpool. Contudo, não venceu qualquer troféu pelo clube.

Após várias investidas em janelas de transferências anteriores, o Chelsea garantiu a contratação do espanhol no último dia do mercado de janeiro de 2011. Os 58 milhões de euros desembolsados por Roman Abramovich fizeram com que Torres se tornasse na altura no jogador mais caro da história da Premier League.

Fernando Torres foi decisivo na conquista do Campeonato da Europa de 2008, ao marcar o golo na final contra a Alemanha
Fonte: UEFA

No entanto, Fernando Torres não viveu os seus melhores dias com a camisola dos blues: em 172 jogos, marcou apenas 45 golos.

Anterior1 de 2Próximo

Comentários