Anterior1 de 3Próximo

Milhões de pessoas esperavam ansiosamente por este duelo, considerado por muitos como o clássico dos clássicos, o melhor jogo do mundo. No acerto de calendário, FC Barcelona e Real Madrid CF protagonizaram um jogo com muitos picos de emoção mas não foram além de um nulo no marcador.

Coreografia fantástica, ambiente frenético e um excelente jogo em perspetiva. Estavam reunidos todos os ingredientes para que começasse o “El Clásico”. Contudo, não se pode dizer que tenha começado da melhor forma para a formação da casa, sempre muito limitada na construção perante uma grande pressão ofensiva do adversário.

Nesse sentido, a primeira meia hora foi totalmente dominada pelo Real, que criou a primeira oportunidade numa excelente combinação entre Isco e Benzema. Pouco depois foi Casemiro a estar perto de inaugurar o marcador em Camp Nou: primeiro num cabeceamento salvo em cima da linha por Piqué, depois num remate potente de fora da área a obrigar Ter Stegen a trabalhar.

Não, não é mentira. O Barcelona chegou mesmo a estar remetido ao seu meio campo como há muito não se via, com sérias dificuldades nos processos de transição. De tal modo que a primeira ocasião de perigo na baliza contrária surgiu apenas à passagem da meia hora de jogo, com Sergio Ramos a salvar um golo cantado de Lionel Messi.

A fluidez do futebol apresentado pela equipa de Zidane (com Isco em destaque) ameaçava mas faltava concretizar, algo que Valverde tentou por duas vezes com dois remates de primeira e de fora da área. Do outro lado, só Jordi Alba ameaçou, mas o remate nem sequer levou a direção da baliza.

Griezmann esteve uns furos abaixos do expectável no ‘El Clásico’
Fonte: FC Barcelona

A segunda parte em nada de assemelhou à primeira, não que os papéis se tenham invertido, mas sim porque o jogo equilibrou, o ritmo baixou e isso refletiu-se nas poucas oportunidades criadas.

Foi preciso esperar até sensivelmente a meio do segundo tempo para aparecerem verdadeiras ocasiões. De um lado, Bale a atirar à malha lateral na conclusão de uma transição bem desenhada – ele que ainda viu um golo ser-lhe anulado por fora de jogo de Mendy na jogada. Do outro, De Jong a testar as luvas de Courtois (colocado à prova pela primeira vez!).

O jogo encaminhar-se-ia para o fim sem mais nada de relevante a apontar e, 17 anos depois, um clássico em Camp Nou voltaria a terminar sem golos. Culés e merengues continuam, assim, na liderança da liga espanhola, com 36 pontos. É caso para dizer: eles não se largam…

ONZES INICIAIS E SUBSTITUIÇÕES:

Barcelona: Ter Stegen, Jordi Alba, Lenglet, Piqué, Nélson Semedo (Vidal, 55’), Rakitic, Sergio Roberto, De Jong, Griezmann (Fati, 81’), Messi e Suárez

Real Madrid: Courtois, Mendy, Sergio Ramos, Varane, Carvajal, Casemiro, Valverde (Modric, 80’), Kroos, Isco (Rodrygo, 80’), Bale e Benzema.

Anterior1 de 3Próximo

Comentários