A derrota no Santiago Bernabéu aconteceu ao fim de três vitórias consecutivas, mas o Girona permanece na sétima posição. Esta frase tem tanto de atualidade como de impressionante. A formação catalã, em estreia na Primeira Liga Espanhola, ronda os lugares europeus e promete dar luta a Villarreal e Sevilla!

À 27ª jornada, o Girona já havia almejado os desejados 40 pontos, o que, desse ponto de vista, fez o que nenhum outro estreante havia feito de forma tão rápida na história da ‘La Liga’. Por outro lado, os ‘Blanquivermells’ foram evoluindo no seu jogo de forma cada vez mais afirmativa, deixando de ter postura de equipa pequena para passar a impor o seu jogo.

No banco, está um treinador jovem, de 42 anos, Pablo Machín. Natural de Soria, o técnico teve de interromper a carreira de futebolista aos 23 anos na sequência de uma lesão num joelho, passando a dedicar-se ao treino desde as camadas jovens na sua terra natal até à equipa ‘B’ e à principal do Numancia, na terceira divisão e na segunda liga.

No Girona, Machín cumpre a sua quinta temporada e, depois de em 2014/15 ter vencido o prémio pessoal de melhor treinador da segunda divisão, Pablo almejou na temporada passada o que o clube, nos seus 87 anos de história, nunca tinha conseguido: chegar à Primeira Divisão Espanhola.

Na época passada, uma subida inédita. Esta época, a luta pela Europa…Pablo Machín passou do anonimato ao estrelato
Fonte: La Liga

Com uma equipa maioritariamente experiente, o Girona desdobra-se num 3x5x2 que sabe gerir a posse de bola e os tempos de jogo de forma muito inteligente e o espírito coeso no seio da equipa sente-se na forma como joga.

Bernardo Espinosa, Jonás Ramalho e Juanpe fazem um trio de centrais muito sólido. Pablo Maffeo na direita e Johan Mojica na esquerda dão elasticidade ofensiva ao sistema. No meio-campo, Álex Granell e Pere Pons dão, em duplo pivot, o equilíbrio necessário na saída de jogo e também em compensações defensivas, deixando Borja Garcia mais solto para apoiar os ‘delanteros’ Christián Stuani e Cristián Portu.

Com 43 golos marcados, o Girona tem, por exemplo, mais golos marcados que Sevilla e Villarreal, mas os 42 sofridos são um número um pouco elevado que tem que ver com alguns acidentes de percurso em alguns jogos como os 12 que sofreu no total em Camp Nou e no Santiago Bernabéu até porque a equipa catalã tem vários jogos em que manteve a sua baliza a zeros.

A ideia é superar as metas, passo a passo. Jogando livres e soltos dentro do campo, querendo ter bola e desfrutar do seu futebol. São 43 pontos conquistados e oito jornadas até fim do campeonato. O objetivo já foi assumido sem falsas modéstias: lutar pela Europa. Precisamos de muitos Gironas para purificar o nosso tão amado futebol!

Foto de capa: La Liga

Artigo revisto por: Jorge Neves

Comentários