O Getafe, que ascendeu esta temporada à primeira Liga Espanhola, após sair vencedor do play-off de subida da Liga Adelante, pode ser desde já considerado como a surpresa da temporada, tanto pela posição que neste momento ocupa na classificação, pelo bom nível exibicional apresentado e também pelo facto de ter cumprido com relativa facilidade e rapidez o seu objetivo principal: fugir à despromoção.

Sob comando do técnico espanhol, José Bordalás, os azulones trouxeram do segundo escalão do futebol espanhol o estilo de jogo que lhes permitiu fazer uma bela campanha na época transata. Alguns dados ilustram o grande potencial desta equipa, tais como: foi uma equipa que, para aquilo que eram os seus objetivos, se revelou sempre regular; é a terceira melhor defesa do campeonato e está prestes a voltar a uma classificação há muito não alcançada.

Nesta equipa do Getafe predomina o equilíbrio entre todos  os seus constituintes, mas é possível destacar, sobretudo, dois jogadores: Vicente Guaita, antigo guardião do Valência, e Ángel Rodriguez, avançado contratado ao Zaragoza. Mesmo jogando em locais opostos, ambos têm assumido um papel fulcral no conjunto madrileno com Guaita a impor toda a sua experiência e qualidade no jogo da equipa, o que se revelou fundamental aos poucos golos sofridos.

Por outro lado, Ángel teve o mérito de transpor a sua veia goleadora do segundo para o primeiro escalão espanhol e é, de forma isolada, o melhor marcador da equipa com 13 golos, tendo revelado-se decisivo em jogos diante Las Palmas e Sevilha com golos ao cair do pano.

Ángel é a figura deste Getafe CF
Fonte: Getafe CF
Anúncio Publicitário

Apresentados os principais ativos individuais, retomamos esta análise pelo todo e podemos destacar que um dos aspetos característicos desta é equipa é a sua consistência, tanto pelos razoáveis resultados que tem obtido assim como, num ponto de vista tático, a sólida defesa que tem apresentado, onde na asa esquerda atua o português Antunes.

No final da primeira volta, o Getafe surgia na décima posição com um registo de sete vitórias, cinco empates e sete derrotas, verificando-se o Coliseum Alfonso Pérez como um palco temível para todas equipas onde apenas ganharam e pela margem mínima Sevilha, Barcelona e Real Madrid, adversários esses que “não são do mesmo campeonato”, pois não partilham dos mesmos objetivos.

Falando em objetivos é importante salientar que o do Getafe era somente continuar no principal escalão de futebol espanhol, o que no término da primeira volta estava muito bem encaminhado pois já contabilizava 26 pontos. Assim que a manutenção foi confirmada, os pupilos de Bordalás mantiveram o nível e com um conjunto de bons resultados o sonho europeu deixou de ser uma miragem e tornou-se uma realidade pela qual tinham hipóteses de disputar.

Desta feita, à data deste artigo e faltando apenas duas jornadas, o Getafe ocupa a oitava posição da tabela. Conta com 52 pontos e está apenas a dois do Sevilha e da oportunidade de ficar em posição de ir ao play-off de acesso à Liga Europa.

A temporada não acabou e o sonho europeu ainda está de pé, contudo, o principal foi alcançado. O Getafe voltou e veio para ficar, o que por si só torna esta época positiva. Restam duas jornadas: receber o Atlético de Madrid e ir ao terreno do, já despromovido, Málaga para tentar ascender à sétima posição e ficar assim mais próximo de atingir algo que escapa há sete anos.

Foto de Capa: Getafe CF

Artigo revisto por: Jorge Neves

Comentários