Anterior1 de 2Próximo

Cabeçalho Liga Espanhola

Em ano de eleições, Florentino Pérez já nos habituou a avançar para a contratação de jogadores de alta patente. Os ditos galáticos, quase sempre os maiores protagonistas da equipa em que atuaram: Figo do arquirrival Barça; Owen proveniente de Anfield Road; Cristiano Ronaldo, um autêntico ídolo nos Red Devils, e Gareth Bale, que carregava o Tottenham às costas. São exemplos bem concretos de tais investidas ao mercado por parte dos dirigentes madrilenos. Este ano, apareceu à ribalta um outro tipo de galático. Mesmo não sendo considerado, em absoluto, como o jogador mais preponderante do esmagador Mónaco de Leonardo Jardim, a sua influência é inegável nos 129 golos marcados, até ao momento, da sua equipa. Assume-se como uma bem possível realidade na equipa detentora do Mundial de Clubes já na próxima temporada.

Kylian Mbappé Lottin, de apenas 18 anos de idade, assina exibições que fazem os responsáveis dos maiores clubes europeus ansiar poder contar com os seus serviços. O valor do jogador, mesmo em fase tão embrionária em termos de evolução, já permite cedências por parte de Leonardo Jardim. Remontando a Outubro, Wilfried Mbappé, pai e agente do jovem gaulês, ameaçou o timoneiro monegasco: se o filho não jogasse com maior regularidade, sairia do clube do principado.

Florentino estará a pensar no "galático" do próximo ano Fonte: Goal.com
Florentino estará a pensar no “galático” do próximo ano
Fonte: Goal.com

E Jardim já tinha dito que a aposta em Kylian seria gradual. Vejam bem o respeito que o jovem já impõe! Embora tenha sido o pai a proferir tal declaração em entrevista ao L’Équipe, Kylian Mbappé poderia muito bem ter levado por tabela… Mas, se o Mónaco aplicasse medidas disciplinares ao jogador em questão iria cometer um erro grave, dada a potencialidade do avançado.

Ao longo da formação, visitara Chelsea, Real Madrid, Liverpool e até foi expressamente pretendido pelo PSG… Deve ter sido difícil resistir a tal cobiça, não tendo apenas em conta o aspeto financeiro, como também a honra, o prazer, de representar um clube de top. Já imaginaram o que é dizer, enquanto adolescentes, que jogamos no Real Madrid? Ou no Manchester United? No universo dos amantes do futebol, todos nós, salvo seja, já sonhámos ser futebolistas… Como será que foi para Kylian Mbappé dizer que não ao assédio de clubes deste tipo? Ter um pai ou uma mãe que rejeite um futuro tão promissor para um filho… Também ligado ao desporto rei, o seu pai Wilfried foi cauteloso e preferiu que o filho fizesse a sua caminhada perto de casa, acompanhado por pessoas que conhece. Por isso, até aos 15 anos morou e treinou em Clairefontaine, a “Universidade” do futebol francês.

Anterior1 de 2Próximo

Comentários