Na ressaca de uma jornada europeia sorridente, os dois grandes de Madrid encontraram-se num clássico sem a importância de outros tempos, mas com a mesma emoção e competitividade. Zidane mexeu muito na equipa inicial, deixando Modric, Isco, Casemiro e Benzema no banco e colocando Kovacic, Asensio, Lucas Vasquez e Bale para os seus lugares. Já Simeone apenas trocou Gabi e Correa por Thomas e Vitolo.

A primeira parte teve um Atlético mais na expectativa, dando a bola ao Real Madrid. A primeira oportunidade foi dos blancos, com Ronaldo a chegar atrasado a uma bola cabeceada por Bale, mas a bola morreu nas mãos de Oblak. O mesmo Ronaldo, aos 20’, rematou forte em zona frontal para nova defesa do esloveno. Do outro lado, Diego Costa também atirou forte para defesa do outro guardião.

Quando a primeira parte, recheada de faltas, se aproximava do final, surgiu a melhor oportunidade: Marcelo fletiu para dentro e rematou em jeito, com a bola a embater no ferro. No seguimento da jogada, Carvajal rematou em vólei para nova defesa do ex-Benfica.

Ao intervalo, o empate ajustava-se e explicava-se sobretudo pela concentração defensiva do Atleti, equipa muito compacta e que faz muito bem as compensações. O Real ia tentando desatar o nó defensivo dos colchoneros com muita posse e as sucessivas desmarcações de Ronaldo e Bale, mas esbarrava quase sempre no muro defensivo dos rivais.

Anúncio Publicitário

A segunda parte começou a todo o gás e os golos não tardaram a aparecer. Primeiro para os da casa, pelo inevitável Cristiano Ronaldo, que rematou de primeira após um cruzamento de Bale, sem hipóteses para a muralha eslovena.

Cristiano Ronaldo continua de pé quente
Fonte: Real Madrid CF

A resposta colchonera não tardou em aparecer e bastou adiantar-se um pouco no terreno para aproveitar o meio-campo soft dos merengues. Apenas quatro minutos depois do tento de Cristiano, Griezmann começou e terminou a jogada, rematando para uma baliza já sem Keylor Navas, que tinha saído aos pés de Vitolo. A reviravolta só não aconteceu dois minutos mais tarde, pois Navas fez uma estirada excelente a um remate potente de Koke, depois de um contra-ataque bem desenhado.

Pouco depois da hora de jogo, Zidane surpreendeu e trocou Cristiano Ronaldo por Benzema, deixando espantados os quase 80 mil espectadores no Bernabéu.

A partir daqui, o jogo teve poucas oportunidades, com o Real a ter um pouco mais de iniciativa, mas esta era consentida pelos comandados de Simeone, que assim podiam lançar os seus venenosos contra-ataques.

Perto do fim, num livre em zona perigosa, Sérgio Ramos atirou para uma esplendorosa defesa de Oblak para canto. Na cobrança do mesmo, o mesmo Sérgio Ramos entrou de rompante ao primeiro poste, mas falhou o alvo. O apito final chegava e o Atlético pareceu ficar mais satisfeito com o resultado.

Com este empate, fica o FC Barcelona a rir-se. Se os catalães já estavam muito bem encaminhados para o título, agora estão ainda mais, com uma vantagem de onze pontos para o segundo classificado. Já as equipas de Madrid continuarão em disputa acesa pelo segundo posto.

Foto de capa: Guilherme Anastácio / Bola na Rede