cab la liga espanha

Era uma incógnita a forma como o Real Madrid ia receber o seu primeiro adversário depois de se ver excluído da Copa do Rei por utilização de jogador irregular. Mas, verdade seja dita, este fantasma que assombrou Valdebebas nos últimos dias não impediu que os jogadores fossem aplaudidos na tarde de sábado. O público encarregou-se de responsabilizar Benítez e de entoar nas suas vozes o descontentamento para com Florentino Pérez.

Soava o apito inicial e os ânimos acalmavam para dar lugar ao futebol vertiginoso que tem feito do Real Madrid uma das equipas maiores da Europa. Para desgraça dos visitantes, o primeiro fim-de-semana de Dezembro marcava no seu calendário um encontro no colossal Passeio da Castelhana.

Desta vez os merengues não especularam, começaram desde cedo a perseguir a sua presa, e, tal como um leão, atacaram-na directamente no pescoço sem lhe dar tempo para um suspiro final. Quatro minutos foram suficientes para que a cumplicidade entre Pepe e Karim Benzema perfurasse as redes. O astro francês demonstrava, assim, que está mais que centrado mentalmente no Real Madrid e no futebol, apesar de ter sido alvo de várias polémicas ultimamente.

Os merengues começavam a dar esboços daquilo que tinham sido em épocas anteriores. Uma vez mais, foi o camisola 9 a assinar o golo, bis de Benzema, que se reconciliava com a casa branca e sacudia dos ombros as dúvidas que tinham caído sobre ele. Notava-se nas suas celebrações. Precisava de marcar e de voltar a pensar apenas na bola, mesmo que fosse apenas por 90 minutos.

Cristiano Ronaldo apontou um dos golos dos merengues
Cristiano Ronaldo apontou um dos golos dos merengues

Era impossível não olhar para o placard que anotava o resultado, tornava-se visível a alguns metros acima dos Ultra que, ao som do hino “Como no te voy a querer”, celebravam o 3-0 que nasceu da cabeça de Cristiano Ronaldo, com Bale a aproveitar para finalizar. E antes de terminarem os 45 minutos de filme de terror para o impotente Getafe, ainda chegou o quarto golo, este através de um passe longo de Kroos no meio campo em direcção à ala direita, deixando Cristiano Ronaldo frente-a-frente com o guardião.

Segundo acto. O jogou perdeu ritmo, fruto de um marcador tão amplo, o que permitiu aos visitantes celebrar o golo de honra. Apesar deste consentimento, os de Rafa Benítez continuavam a controlar as quatro linhas e o técnico local repartiu os minutos de jogo pelos vários jogadores do plantel.

Não se viram sinais do que se passou há uns dias na Ucrânia, o Real Madrid voltou e a melhor forma de o demonstrar foi como a de hoje, com grande futebol e com golos. Como um leão, foram reis da sua própria selva. E já soava em uníssono, num Santiago Bernabéu que era palco de um casamento que voltava aos seus dias de paixão intensa, “Como no te voy a querer si fuiste campeón de Europa por décima vez?”.

A Figura:

Karim Benzema – Fez 2 golos e foi o grande regresso depois de todas as polémicas extra-futebol que o afectaram nos últimos tempos.

O Fora-de-Jogo:

Getafe FC – Foi completamente impotente e em nenhum momento do jogo conseguiu pôr em causa a superioridade do Real Madrid.

Comentários