internacional cabeçalho

“Tribuna Fondo Norte”, punham no meu bilhete para a noite de Champions no Estádio Santiago Bernabéu. Real Madrid CF vs. Malmö FF, jogo que pouco me motivava e ao qual não teria ido se não me tivessem oferecido a entrada. Como boa portuguesa que sou, quando é oferecido não se rejeita, e aí estava, desta vez como aficionada e não como jornalista, sentada no sector 209, com a camisola do melhor português. Este 7 pesa ainda mais nas costas quando estamos num país que não é o nosso e a ver ao vivo um dos poucos portugueses que lembra ao mundo que aquele rectângulo com vista para o Atlântico tem nome e não é um anexo de Espanha.

Admito que estava com aquela atitude de ouvir o hino da Champions, ver os jogadores em perfil e rapidamente desligar-me e conectar-me a uma dessas aplicações para androids que nos permite seguir todos os jogos que estão a decorrer. Saber se o Manchester United era eliminado da Champions ou se o Benfica do meu Portugal ganhava ao Atlético de Madrid da minha quase Espanha interessava-me muito mais.

Uma palavra: surpreendente. 8-0, goleada pouco típica num jogo de Champions. 90 minutos que permitiram apostas do tipo “eu acho que vai chegar ao 10-0 e que ainda vai marcar o Cheryshev”. Sim, o Malmö parecia uma equipa de bairro e por algum motivo teve o seu primeiro canto apenas aos 70min de jogo. Mas não se pode descartar a exibição dos merengues, que voltaram a estar em sintonia e a parecer uma equipa. É de destacar Benzema, que mais uma vez provou que as especulações ficam fora do terreno de jogo e que a vida pessoal não o impede de premiar o público madridista com golos. O francês voltou e trouxe um hat-trick no bolso.

aa
Benzema reencontrou-se com os golos
Fonte: Real Madrid CF

Um jogo que pouco prometia e que me fez celebrar um “póquer” daquele que se tornou no primeiro jogador a marcar 11 golos numa fase de grupos da Liga dos Campeões, e que arrepios nos dá ouvir “GOOOOOOL del portugués CRISTIANO RONALDO!”, ainda mais quando se trata de um público como o do Real Madrid, que geralmente é pouco efusivo, e que desta vez gritou “SIUUUU” em uníssono durante o típico festejo de Cristiano Ronaldo. O filho rebelde fazia as pazes com a família.

Anúncio Publicitário

Depois deste resultado, o Real Madrid classifica-se como líder do grupo A para a próxima fase e Rafa Benítez torna-se no treinador com os dois maiores resultados de sempre na Champions, recordando o 8-0 ao comando do Liverpool contra o Besiktas.

Apesar de ter tido a oportunidade de gritar “golo” por 8 vezes numa noite, mantenho-me fiel à minha opinião: os espanhóis têm muito de futebol para nos ensinar, mas têm também muito que aprender connosco no que toca a apoiar um clube num estádio. Imagino o ambiente que esteve no Estádio da Luz, mesmo que o resultado tenha sido negativo para a equipa da casa. E digo-vos, aqui ganhou-se 8-0 e as vozes soaram única e exclusivamente durante os poucos minutos em que se celebram os golos. Que bom ambiente há nos estádios portugueses!

Foto de Capa: Real Madrid CF

Comentários