cab la liga espanha

Depois da derrota por 4-0 na sexta feira passada em Bilbau, a missão do FC Barcelona era muito difícil e isso confirmou-se com o desenrolar dos minutos, esta noite, em Camp Nou.

Luis Enrique fez alinhar a equipa normal do Barça, apenas com duas exceções: Jordi Alba e Neymar, lesionados, foram substituídos no onze inicial por Mathieu e Pedro Rodríguez. Os “culés” entraram em alta rotação, tentando empurrar os bascos para dentro da sua área. Contudo, Ernesto Valverde montou uma equipa muito agressiva a meio campo, com Gurpegi, Javier Eraso e até Beñat a fecharem no meio, à frente da dupla de centrais formada por Laporte e Etxeita. Susaeta e De Marcos funcionaram na primeira parte como “segundos laterais”, ficando apenas Aduriz na frente, sempre muito combativo a segurar a bola quando esta lá chegava em boas condições.

O jogo decorreu maioritariamente no meio campo do Athletic, com o Barcelona a tentar de tudo para chegar ao golo. Vimos mudanças de flanco, incursões pelas alas, futebol apoiado à entrada da área, mas Gorka Iraizoz não teve muito trabalho na primeira parte. Após uma primeira ameaça de Piqué, com um remate ao ferro da baliza basca, o golo apenas chegou no final da primeira metade, no melhor momento do encontro. Ivan Rakitic cruzou e Suárez tem uma assistência primorosa com o peito, para Messi finalizar na cara de Iraizoz.

Piqué esteve perto de marcar no início mas foi para o banho mais cedo. Fonte: Facebook oficial da Real Federación Española de Fútbol
Piqué esteve perto de marcar no início mas foi para o banho mais cedo.
Fonte: Facebook oficial da Real Federación Española de Fútbol

Esperava-se que o Barcelona viesse revitalizado para a segunda parte, mas o que se viu foi o Athletic Bilbau a chegar perto da baliza do Barcelona. A equipa de Valverde conseguiu estender-se mais em campo, com Eraso e Aduriz a darem trabalho a Claudio Bravo, que foi hoje o titular, em detrimento de Ter Stegen. Aos 56 minutos, Gerard Piqué foi expulso, aparentemente por palavras, e as derradeiras esperanças do Barcelona ficaram ainda mais esfumadas. O jogo ficou praticamente sentenciado a cerca de um quarto de hora do seu término. Aduriz ficou isolado na cara de Bravo, o guardião chileno ainda defendeu a primeira tentativa mas foi impotente para evitar o golo, o quarto do jogador nesta Supertaça Espanhola.

Até ao fim, o jogo foi um longo bocejo, com as equipas à espera do apito final do árbitro. Fazendo as contas, o Barcelona fica impossibilitado de repetir o feito alcançado na era de Pep Guardiola, onde ganhou o “Sexteto”, e a festa foi do Athletic, um clube que granjeia carinho, respeito e admiração por todo o mundo. Os “Leões de San Mamés” vergaram o Barcelona em casa e hoje seguraram bem a vantagem na Catalunha. Uma palavra final para a festa basca em Camp Nou, num clima de grande respeito dos adeptos do Barcelona. Oxalá fosse sempre assim…

A Figura :

Aritz Aduriz – O avançado basco foi o melhor jogador da Supertaça com um “hat-trick” na primeira mão e o golo que sentenciou a eliminatória nesta segunda feira. Além dos golos, Aduriz notabilizou-se pelo seu inexcedível trabalho na luta com os centrais catalães e foi o homem que decidiu a Supertaça.

O Fora de Jogo:

 Gerard Piqué – O central começou bem o jogo, tendo atirado uma bola ao ferro da baliza de Iraizoz e sendo um dos elementos mais inconformados com a situação do Barcelona na eliminatória. Contudo, se a situação já estava difícil, a expulsão de Piqué deitou tudo a perder.

Foto de capa: Facebook oficial da Real Federación Española de Fútbol

Comentários