Espaço do Bola na Rede dedicado à opinião de cronistas especializados para escreverem sobre os mais variados temas da atualidade desportiva.

Clássico de “vida o muerte“, é “A última bala do Real Madrid”. É desta forma que o conceituado jornal espanhol ‘Marca’ descreve o clássico de domingo que opõe os merengues ao Barcelona. E este é um “clássico mortal” – como também se pode ler na publicação – porquê? Simples. Porque, se os catalães vencerem, saem de Madrid ainda mais líderes, com mais cinco pontos do que o rival, a doze jornadas do final do campeonato.

Além da questão pontual, uma derrota da equipa orientada por Zidane no Bernabéu diante de um histórico adversário será mais um golpe duríssimo que se junta aos vários que tem enfrentado nas últimas semanas. Em casa, o Real Madrid não venceu os últimos três jogos: empatou com o Celta Vigo, perdeu com a Real Sociedad – e foi eliminado da Taça do Rei – e foi derrotado pelo Manchester City na última quarta-feira, colocando praticamente um pé fora da Liga dos Campeões.

O Bernabéu tem sido tudo menos uma fortaleza para a equipa da casa, ultimamente. Se a tudo isto se juntar o desaire no terreno do Levante na última jornada, e a consequente perda da liderança do campeonato, percebe-se, ainda melhor, o pesadelo que a equipa ‘blanca’ está a viver. Olhando por outro prisma, esta é a tal oportunidade que o Real Madrid tem de voltar a dar uma ‘remontada’ na época, pois, em caso de vitória diante do Barcelona, recupera o 1.º lugar da Liga Espanhola, com mais um ponto do que o rival. Os ‘merengues’ vão tentar salvar a temporada no clássico, uma vez que estão fora da Taça do Rei e ficaram com a vida muito difícil na Liga dos Campeões, depois do jogo da última quarta-feira.

Quique Sétien na sua oitava experiência enquanto treinador
Fonte: FC Barcelona

Da Catalunha, viaja uma equipa moralizada pelos últimos resultados, mas extremamente desfalcada. Piqué deve recuperar da lesão a tempo do clássico, mas Sergi Roberto, Jordi Alba, Dembélé e Luis Suárez são baixas confirmadas. Limitações para Quique Setién formar uma equipa para jogar num terreno que tem sido muito favorável para os catalães nos últimos anos, uma espécie de ‘jardim blaugrana’.

Anúncio Publicitário

São seis vitórias para o Barça nos últimos dez clássicos no estádio do Real Madrid, que há quase três anos que não consegue bater o grande rival em casa. Mais: Setién venceu o Real Madrid duas vezes nos últimos três jogos que disputou no Bernabéu, na altura como treinador do Bétis, ou seja, numa equipa que não está ao nível dos grandes em Espanha. O Barcelona chega à capital numa série de quatro jogos sem perder, mas sem motivos para sorrir no que toca a jogos fora, com duas derrotas e um empate em quatro desafios. A 1.ª mão dos oitavos de final da Liga dos Campeões também trouxe mais sorrisos aos catalães, uma vez que conseguiram um resultado que lhes dá vantagem para a 2ª mão (1-1 em Nápoles), ao contrário do Real Madrid, que foi derrotado por 2-1, em casa, pelo Manchester City.

Quanto a individualidades que podem fazer a diferença, salta à vista, obviamente, o nome de Lionel Messi, que já marcou 26 golos (!) em 42 jogos diante do Real Madrid. O argentino reforçou o estatuto de melhor marcador do campeonato na última jornada, em que apontou quatro golos na vitória diante do Eibar (5-0). Além dos 18 golos, Messi soma ainda 12 assistências no campeonato e terá a companhia, no ataque, de Antoine Griezmann, que também atravessa um bom momento de forma, com dois golos decisivos nos últimos três jogos.

Do lado do Real Madrid, Benzema tem sido sinónimo de golos. O francês já marcou 18 vezes esta época, 13 no campeonato, e vai liderar o ataque dos ‘merengues’ no clássico, provavelmente com a companhia de Vinícius Jr. e de Isco, jogadores que estiveram em evidência no último encontro do Real, com o Manchester City.

APOSTA VIP: Empate (2-2)

O Real Madrid CF tem a melhor defesa do campeonato, é certo, mas só nos últimos três jogos sofreu cinco golos. Diante do melhor ataque da prova, com Messi e Griezmann em forma, é provável que os merengues voltem a conceder golos. O Barcelona está num nível anímico muito mais favorável do que o Real Madrid e costuma sentir-se extremamente confortável a jogar no Bernabéu. (Mais) Uma vitória na casa do rival é, por tudo isso, bem provável. Porém, tendo em conta a importância do jogo para as contas do título, o Real Madrid vai encarar este desafio como a salvação a época, deixando tudo em campo para contrariar a história e afastar os pesadelos das últimas semanas, com a liderança da Liga Espanhola em ponto de mira.

Foto de Capa: La Liga

Comentários